sábado, 24 de agosto de 2013

Fado, Corrida e Rock n' Roll - A Nova Maratona de Lisboa



Corres ao longo do Rio
Nesta Prova em que o Machado
Assumiu a Direcção
Mas sinto um certo arrepio
Quando ouço em vez do Fado
Outro tipo de canção.

De Cascais até Lisboa
Na atmosfera ressoa
Uma alegre animação
 Mas a música que ouvimos
Não é a que mais sentimos,
A que nos traz emoção.

Se tu tens música nossa:
Lisboa, menina e moça
Tens o Vira, tens Malhão,
Tens Fandango, tens Bailinho
Tens até o Corridinho,
Mas Rock´n, Roll é que não…

Deixa lá, Severa, não nos leves a mal
Sei que isto é Lisboa, sei que isto é Portugal
Mas o Rock,n,Roll torna-se um som mais curtido
Tem até um ritmo que nos fica no ouvido.
Ido-ido, oh yeah

E em cada passo que dás no alcatrão
Não queiras que o Fado te acelere a exaustão
De certeza que te vais sentir mais feliz
Se te desligares do fado deste País.

Já noutras cidades, por esse mundo fora
Foi o Rock’n’Roll a música vencedora
E a Maratona  quando assim animada
É feita a brincar e não na ponta da espada.

Mas, Oh Fado amigo, és para mim um irmão
Só que p’ra te ouvir  é numa outra ocasião
Na Corrida, o  Rock tira todos os medos
 Se puser  o passo ao compasso dos dedos.

Vamos lá, então correr ao longo do Rio
Haja  muitos palcos também ao desafio
E ao chegar à Meta, no Parque das Nações
Venham os abraços, chovam as emoções.

Esta está feita… oh yeah
Esta está feita… oh yeah
Tchan,nan-nan-nan……………..Yeahhhhhh.


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Olha que bem !!!



“Sim senhor, está conforme” . – Dá cá 125 € !"
De um momento para o outro, sem qualquer explicação, a conversa passa a ser a seguinte:
-“Sim senhor, está conforme”. – Dá cá 250€ !"

Não duvido da legitimidade para a aprovação das suas tabelas, mas é das normas que, sempre que haja lugar a uma alteração, haja também uma fundamentação a acompanhá-la, justificando os novos valores apresentados.

Isto, porque numa lacónica circular às organizações de provas, a AAL comunicou o seguinte :

Às
Entidades Organizadoras de Provas

Para os devidos efeitos, vimos, por este meio, informar a nova tabela de preços relativa à homologação de provas, a vigorar a partir de 1 do corrente, é de 250 (duzentos e cinquenta) euros.

Lisboa, 01 de Agosto de 2013

Pel'A Direcção “

Assim, sem parcimónias.

De facto, pode-se ir directamente ao assunto sem se estar com rodeios, mas tenho sérias dúvidas que tão sucinto texto seja da responsabilidade do notável jurista que preside à referida Associação e por quem tenho especial consideração.

A questão do agravamento da taxa de homologação dos regulamentos das provas também poderá ser objecto de discussão, até porque a FPA, que transferiu para as associações essa competência, terá uma palavra a dizer no que respeita à harmonização dos valores praticados.

A tudo isto acresce o facto de as provas (ou a esmagadora maioria delas) a quem se pede que redobrem a “contribuição” não serem consideradas no calendário competitivo da AAL.


Pode ser que seja eu que esteja a ver mal as coisas.

domingo, 4 de agosto de 2013

Conseguiste, Paulo



Nesta foto, e honrosamente, aparece também Pedro Amorim,
 (que já apanhou a meio o disparo da máquina, e a quem pedimos desculpa)
o grande ultra maratonista  responsável pela assistência médica a Carlos Sá, na recente  e tão falada
vitória alcançada na Badwatter, nos E.U., a mais difícil Ultra maratona do mundo.


Missão cumprida, Paulo! Após 7 horas e 6 minutos de prova, eu, o Nelson e o Telmo, terminámos este saboroso feito, que te foi dedicado e em que tu estiveste connosco do 1º ao 50º Km. Agora, descansa em paz.

sábado, 3 de agosto de 2013

5º UTNLO , o mais amargo













“- Oh Sô Fernando, isso é muito para mim. Não me meto nessas coisas!” Era o que tu me dizias quando eu tentava aliciar-te para experimentares fazer comigo a maratona ou aquelas ultras como a Ultra Maratona Atlântica (UMA) ou o Ultra Trail Nocturno da Lagoa de Óbidos (UTNLO). Tinhas sensatez e prudência bastante para fazeres o teu exercício sem grandes ambições competitivas e sem querer ir além dos limites que conhecias de ti.
Nunca insisti muito contigo, não porque tivesse dúvidas que conseguirias, mas porque estes desafios terão sempre de vir de dentro de cada um de nós.
Não te cheguei a contar como foi a UMA. E também não te poderei contar como vai ser o UTNLO, de logo à noite, enquanto a massa que utilizaste para estar entre nós, aguarda a transformação em pó.

Nunca insisti contigo, mas desta vez vais comigo, fazer o UTNLO. Cada passo que eu der, seremos os dois a dá-lo. Quero chegar, erguer os braços e dizer : “CONSEGUISTE, Paulo!” 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Em memória



O que eu queria mesmo era estar ainda a dissecar a minha participação na UMA e a fazer uma antevisão do que vai ser o UTNLO, no próximo Sábado, pois das provas especiais estas são as mais especiais que tenho. Entre uma e outra, porém, sou confrontado com o desaparecimento súbito de um amigo que me tinha desejado sorte para estes desafios. Um amigo de treinos, um amigo das provas, um amigo da terra. Um colaborador activo das nossas iniciativas em prol da modalidade que o cativou : A MMSJL, o TNL, o TL.
Queria, mas todo o pensamento fica rapidamente ocupado com o fraco valor da vida humana, que, sem aviso, de um momento para o outro, nos é retirada por quem terá poderes para isso. Nós, que somos feitos de uma mesma massa, fazemos todos um percurso idêntico e, numa curva qualquer desse percurso, voltaremos a encontrar-nos.
Paulo, continuarás entre nós, nas nossas lembranças e no teu exemplo. Apenas deixaste de ser visto.