sábado, 9 de janeiro de 2010

Outra "corrida"

Quando o galo canta, meus amigos, a “corrida do cidadão” é mais virada para o “galinheiro”. Transforma-se. Deixa de ser aquela Corrida tranquila, livre, despreocupada e passa a ser uma Corrida com os seus neurónios, desgastante, agitada de indignação pelos desvarios de uma sociedade... minada.

Menos participativo, porém, não me esqueço que o Fim da Europa vem aí e pouco depois Sevilha. Tenho pena de Badajoz, mas este ano não dá, pois, apesar de ter feito duas S.Silvestres, desde a Maratona de Lisboa que não treino. E isso não é bom.

4 comentários:

joaquim adelino disse...

Amanhã faz-se tarde e não esperes até lá. Se existe tempo para a indignação perante a nossa impotência, deveremos contrapor com o nosso espírito de guerreiro do antes partir do que torcer. Uma corridinha sempre ajuda a arrumar e a perceber um pouco as teias que nos vão minando e descortinar aqui e ali os desvarios que por aí andam um pouco por todo o lado.
Não te atrases amigo, o que nos espera é duro e aqui, por muito queiramos, não há milagres.
Abraço.

José Alberto disse...

Olá Fernando,

Quando menos nos apetece treinar é quando mais precisamos. Sendo possível, há que contrariar.

Outro galo canta... às vezes as lutas são muito desiguais, as armas não são as mesmas e o terreno está cheio de armadilhas.
Nem sempre vence quem tem razão.

Também é certo que, muitas vezes, a justiça tarda mas acaba por chegar.

O Fernando tem de estar preparado para qualquer uma das duas soluções.

Espero que vença a razão.

Grande abraço

José Alberto

luis mota disse...

Olá Fernando!
Depois de um excelente 2009 já com a agenda preenchida para o princípio de 2010.
Também conto efectuar a estreia em Sevilha mas encontrar-nos-emos em Sintra.
Grande abraço,
Luís mota

José Xavier disse...

Caro Fernando;

Existem muitos galos que cantam, mas outros desafinam. Esses são aqueles que sem qualquer razão tentam cantar. Geralmente a verdade é como o azeite vem sempre ao cimo!

Uns treinos, para desanuviar o stress destes momentos, podem ser o melhor remédio, para estas lutas desleais.

Um forte abraco, e vamos lá a uns treinos, e muita forca.

José Xavier