sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Corrida Lisboa à Noite




Amanhã, 21,00H Lisboa vai ser palco de uma corrida nova, desta feita, sob a égide da Federação Portuguesa de Atletismo ( ! ) O ponto de exclamação, todos sabem a que se deve: é que a FPA demorou muitos anos a tomar consciência do crescimento do Atletismo fora das pistas. Felizmente que a nova "gerência", empossada à coisa de um ano, abriu os olhos para esta realidade e parece abrir as portas ao "Atletismo de Rua", aquele que move multidões; em que apenas um ou outro competirá ao mais alto nível; aquela Corrida em que alguém há-de chegar na frente, mas ninguém sente que a perdeu; em que a grande vitória é  satisfação de poder correr, o convívio aqui, ali, mais além...
Embora feliz com esta iniciativa da FPA, fica no ar uma pergunta : - Terá isto a ver com a escassez de atletas capazes de grandes marcas, que  obriga os dirigentes a olhar à sua volta, dando conta que há vida para além dos estádios ?
Mas com o calendário repleto de provas, a que se juntaram as de Trilhos, que não são poucas, vão surgindo as nocturnas, disse bem: nocturnas. Daí ter ficado um bocadinho triste com o nome que deram a esta Corrida: "Night Run Lisboa". Haveria necessidade? Não tínhamos, por exemplo, um nome bem mais castiço e também internacionalmente conhecido:

Lisboa adormeceu, já se acenderam
Mil velas nos altares das colinas
Guitarras pouco a pouco emudeceram
Cerraram-se as janelas pequeninas
Lisboa forme um sono repousado
Nos braços voluptuosos do seu Tejo
Cobriu-a a colcha azul do céu estrelado
E a brisa veio, a medo, dar-lhe um beijo
Lisboa
Andou de lado em lado
Foi ver uma toirada
Depois bailou... bebeu...
Lisboa
Ouviu cantar o fado
Rompia a madrugada
Quando ela adormeceu
Lisboa não parou a noite inteira
Boémia, estouvanada, mas bairrista
Foi à sardinha assada lá na Feira
E à segunda sessão duma revista
Dali pró Bairro Alto então galgou
No céu a lua cheia refulgia
Ouviu cantar a Amália e então sonhou
Que era a saudade aquela voz que ouvia

Em contrapartida na Maratona do Porto, vamos ter, mais uma vez, O FADO. Quando uns não querem...

4 comentários:

Anónimo disse...

Recentemente alguém disse que éramos masoquistas…

No meu caso, se participasse nesta prova, seria…

21€ para correr uma corrida “estrangeira” na minha linda cidade?!…

Não, obrigado!

Orlando Duarte

Fernando Andrade. disse...

Tens razão, Orlando.
Mas olha...foi uma vez sem exemplo. Quero ver o que vai ser esta Corrida.
Abraço.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

... este é o nosso fado...

Sempre fomos bons a "estrangeirar-nos", como se isso nos elevasse e como se falar e escrever Português nos rebaixasse...

Manias, cada um tem as suas e eu não fujo à regra. Também as uso, as palavras estrangeiradas que acabam por entrar à força da repetição, mas de forma geral se há uma palavra em Português que diz exactamente o mesmo...porquê "estrangeirar"? Para algumas pessoas não perceberem? Sim, ainda há muita gente que não pesca nada de Inglês. Olha eu dizer ao meu pai que vou à "Night Run Lisbon" - ai é verdade ...é Lisboa, não Lisbon...mas podia muito bem ser! E a resposta dele seria" AHHHH??? Vais onde???? bonito não é?

Anónimo disse...

Mestre
21euros li bem?
Quanto ao resto muito sinceramente usar estrangeirismos não é o mal maior, esse será na minha opinião usar como muitos e inclusivé grande parte das organizações das corridas em Portugal o dito AO 1990.
Abraço mestre.