sábado, 29 de novembro de 2014

Corrida do Centenário da Aviação Militar


O brevé já cá canta
Tinha que ser uma voltinha rápida, que estava quase na hora.
O concerto da Banda da Força Aérea

Com um terço da prova feito


E cá está a chegada. (Fotos do Duarte Andrade)

Para mim, o mês de Novembro foi, praticamente, de defeso. Fiz a Maratona do Porto, no início do mês  e a Corrida do Centenário da Aviação Militar, no fim. Pelo meio, apenas fiz metade do Treino Nocturno de S.J.Lampas. Para além disto, zero.

Tinha alguma expectativa quanto a esta prova : por ser perto, por ser num espaço que só conheço ao longe, por ter como cenário inúmeros aviões, por nos permitir visitar o Museu do Ar, por serem só 10 Km, por só custar 5 euros…

Ora, o que é que achei desta Prova?

Para começar, digo já que me merece nota bastante positiva, em que gostei de tudo e com pouquíssimos reparos a fazer que em nada beliscam a Prova, mas que,  tratando-se de uma 1ª edição não tem qualquer importância. Refiro-me à falta da marcação dos quilómetros, que a mim não fez qualquer diferença, pois corro sem relógio. O outro pormenor , o 1º que me saltou à vista e me fez doer a alma, foi o erro no horário escolhido para a actuação da Banda da Força Aérea, que ali esteve, supostamente para animar os momentos que antecedem a partida. A Banda da Força Aérea, dizem os entendidos, pertence à fina flor das bandas portuguesas e bem mereceria ter à sua volta um público numeroso, que sorvesse os fantásticos arranjos musicais que tocaram. Mesmo sem público, e demonstrando enorme profissionalismo, dedicaram igual empenho ao que faziam , sendo aplaudida por meia dúzia de pessoas. Maravilhosa a banda e que bonito seria que a sua actuação tivesse ocorrido nos 10 minutos que antecediam a partida. Em vez dos aplausos da tal meia dúzia de espectadores, teriam o de todos os corredores e caminheiros, que totalizavam mais de dois milhares. Um terrível erro de ”timing”,  que não permitiu a merecida valorização do excelente trabalho da Banda. Pus-me no lugar de cada um daqueles músicos e, confesso, senti-me mal. Mas a verdade é que, no horário escolhido, os corredores estavam ainda a levantar dorsais ou a equipar-se e quando ali chegaram, já a Banda se tinha retirado. Que não fique a ideia que o pessoal das corridas não sabe apreciar e valorizar a música, tanto mais que os trechos que foram tocados eram sobejamente conhecidos e seriam  importantíssimos para “encher o peito” dos que iam iniciar a corrida. Uma pena.

Quanto à minha prova, fi-la do princípio ao fim bem acompanhado pela fera do pelotão, o Tigre, a quem agradeço ter-se deixado ficar para trás, para fazermos juntos os 10 Km do percurso.  Corremos tranquilos e terminámos com um tempo a rondar os 50 minutos, bem melhor do que aquele que eu poderia esperar.

Para terminar quero deixar os meus parabéns à Organização pelo excelente trabalho realizado, fazendo votos para que a próxima não seja só daqui a mais 100 anos. 

4 comentários:

Jorge Branco disse...

Uma prova a que eu gostaria de ter ido...
Parabéns pela excelente e tranquila prova e muito bem acompanhado.
Um abraço.

PauloL disse...

Caro Fernando,
Também lá estive e subscrevo na íntegra a análise. Também gostei muito de todo o evento e foi um enorme prazer correr na BA1.
Abraço.

JoaoLima disse...

Parabéns pela prova!

Um abraço

ps - A voltinha do helicóptero foi boa? (ih ih ih)

tutta disse...

Parabéns pela boa participação na prova Fernando.
Abraço e boas corridas.


tutta-Baleias/PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br