sábado, 28 de fevereiro de 2015

3º Trilho das Lampas


A 70 dias do evento estão praticamente esgotadas as 700 inscrições previstas, terminando hoje, à meia noite, o período mais económico. Lá para a Páscoa, iremos fazer um reconhecimento oficial. Estejam atentos que em breve sairá informação sobre o assunto. Deixo-vos com algumas imagens, mas as que  mais se salientam, são aquelas que se obtêm do contacto com a realidade, ouvindo os sons, sentindo o vento, sentindo os cheiros. 9 de Maio, 19,30, para que a maioria dos atletas possa assistir ao por-do-sol nos 3 Km de orla marítima. Isto, se o céu estiver limpo, bem entendido.







ACB - A minha equipa das corridas


27.Fev.2015


Nos 20Km de Cascais 2015


Mais uma vez, o Café Império, na esquina da Alameda com a Almirante Reis, em Lisboa, foi palco da Gala da Época, da Açoreana Clube Banif, o grande grupo de amigos que corre e marca presença assídua nas provas (de atletismo, de trail e de triatlo)  e a que, cada vez mais, me orgulho de pertencer.
Esta gala é, no fundo, um agradável convívio e um momento de justa homenagem aos que mais se destacaram ao longo do ano, quer pelo número de provas em que participaram, quer pelo número de quilómetros que percorreram, quer pelos resultados que obtiveram, pelas funções que desempenharam. Mas, acima de tudo, foi um momento de comunhão em que foi claramente dito que, mais do que a busca de resultados, importava à ACB promover a prática saudável da Corrida, marcando uma presença alegre nos eventos e cimentando amizades.
E não ficou esquecida uma palavra de reconhecimento para aqueles que representaram com determinação a ACB  no passado, alguns com responsabilidade na fundação da equipa e que, após um “Verão quente” que, pessoalmente, muito lamento, deixaram de vestir as suas cores.
Sem perceber nada do mundo empresarial nem de finanças, tenho uma enorme admiração pela Companhia de Seguros Açoreana e pelo Banif, nem que seja pelo facto de terem tido a sensibilidade para perceber que, sem que se seja atleta de topo, no meio do pelotão também se podem fazer notar “pequenas peças” carregadas de valores humanos e com um intenso espírito de equipa.


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

7 Anos



Sete.
Gosto deste número (mas se não gostasse, ele teria a mesma importância que tem na contagem das coisas).
Hoje, o sete representa o número de anos de vida que o Cidadão de Corrida acaba de completar.
Foi um ano fraquito este último (talvez o mais fraco de sempre) na publicação de textos. Falta de assuntos, falta de vontade de escrever, dispersão por outras áreas da net…a verdade é que a pasmaceira se instalou no Cidadão, afinal, a mesma moléstia de que me queixei exactamente há um ano.
O “livro das caras” tem sido maroto. Absorve-me a atenção, gasta-me o tempo, esvazia-me o blogue.
Cidadão de Corrida. Um nome que, mesmo sem querer, veio a revelar-se pretensioso já que, para mim, o exercício da cidadania resultou em qualquer coisa de diferente daquilo que eu imaginava e deixou-me algum “amargo de boca”.
Já em relação à Corrida, vai-se girando enquanto a saúde e os deveres o permitem. Muito menos provas do que as que gostaria de fazer. Como corredor da treta, continuo integrado naquele grande grupo de amigos que representa a Açoreana Clube Banif e onde me sinto tão bem; como organizador da MMSL e do TL, continuo empenhado em não decepcionar os meus colegas da organização, as entidades que nos apoiam e, sobretudo, os atletas que confiam no trabalho que temos feito; como “blogger” sinto-me em falta. Mesmo muito em falta!
Não sei é se adianta prometer que daqui para a frente vai ser melhor.
Por último, quero deixar um agradecimento muito sincero a todos quantos vêm visitar este espaço onde, só de longe em longe aparece um ou outro apontamento.
Sete anos já passaram. Muito obrigado a todos quantos, com a sua visita, me ajudaram a manter vivo o Cidadão de Corrida. Bem hajam.