terça-feira, 16 de julho de 2013

Carlos Sá, isto é para ti

O 1º a chegar na Badwatter

O Vale era da Morte e a Água Má,
A terra em brasa e o lago fumegando,
E  eis a inóspita montanha  que ali está
Onde muitos foram capitulando.
Mas o luso valente, Carlos Sá
Ouvindo o que lhe foram relatando
Não hesitou e toma a decisão
De viajar p’ra lá, a meio do Verão.

 96 titãs se reuniram
Naquele vale fundo (ou frigideira?)
P’ra correr a distância que aferiram:
Mais de 40 léguas ! Que canseira!!!!
Chegados lá ao  cume,  que subiram
Pensando e debitando tanta asneira,
Desvendando caminho, quem vem lá?
Só podia ser mesmo o Carlos Sá.

Saltámos e chorámos de emoção
Por ver tão dura empresa conquistada
E renasce o orgulho na nação
Que dá ao mundo gente assim esforçada.
Rejubilemos com um Campeão
P’ra quem os impossíveis não são nada
E acreditemos mais nos bons valores

E menos nos que são nossos senhores.

17 comentários:

JoaoLima disse...

Fantástico, Fernando!

Um abraço

Fernando Andrade. disse...

Obrigado, João.
Grande Abraço.

joaquim adelino disse...

82 rteachinBonito poema Fernando, vem a propósito e ao encontro da glória conquistada pelo Sá para todos nós. Naquela ponta final eu "sentiu" a nossa presença e agigantou-se para nos oferecer esta alegria imensa da sua vitória. Abraço

Cándido Calviño disse...

¡O teu relato é fermoso, épico, homérico!

jamp disse...

Muito bom.

Fernando Andrade. disse...

Muito obrigado Amigos Adelino, Cândido e Jamp.
O feito do Carlos toca fundo e mereceria melhor se maior fosse o engenho.
Grande abraço a todos.

Margarida disse...

Fernando obrigada :) Beijinhos

tornadocontrolado disse...

Muito bom, sr. presidente, muito bom!!!
Fernando, as tuas palavras ajudam-nos a sentir de uma forma profunda e tocante os feitos e conquistas do Carlos.
Abraço

Fernando Andrade. disse...

Muito obrigado Margarida e muito obrigado João. Havendo quem goste do que fiz, fico, obviamente mais satisfeito, pois o Carlos Sá merece o melhor dos louvores pelo seu feito.
Abraço.

José Conchinha disse...

Não sabia que também eras poeta. Bom trabalho e dirigido ao nosso herói. parabens

Carlos Cardoso disse...

Fantástico poema para um feito absolutamente extraordinário.
Parabéns Fernando Andrade pelo poema - não tenho dúvidas que o Carlos Sá se vai emocionar ao ler estas palavras.
Aquele abraço

Antonio Antunes disse...

Gostei mesmo muito, és um poeta Fernando, obrigado pela inspiração.
o Carlos vai gostar de ler, tenho a certeza.

Fernando Andrade. disse...

Caros amigos Conchinha, Cardoso e Antunes, muito obrigado pelas vossas palavras. O importante é que o Carlos Sá se reveja em nós e nós nele. Abraço.

Jorge Branco disse...

A mestria de um grande poeta a homenagear um super atleta, um herói de Portugal!

Carlos Castro disse...

Sublime, Fernando. Melhor que uma notícia passada por favor num canal televisivo!

Ricardo disse...

Grande feito do grande Carlos Sá!

Ainda por cima na sua (dele) estreia... vai lá, vai!

E mais um grande poema teu! És o Camões da corrida a pé!

Abraço

Jorge disse...

Um dia ainda vou participar desta ultramaratona Parabéns ao Carlos Sá pelo primeiro lugar na Badwater e Parabéns poeta Fernando.


Bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com