quinta-feira, 22 de maio de 2014

A imagem e a ética


A foto de meia página que é revelada na Spiridon, a propósito do "Fair Play e Vigarice" na  Meia Maratona de Lisboa (e que já o fora na Revista Atletismo de Abril) ou teve a anuência do casal visado ou estamos perante uma séria violação dos seus direitos.

Apesar de ter tido um comportamento incorrecto, com o qual não concordo de todo, a repetida exposição pública de que está a ser objecto, não tem nada de pedagógico ou moralizador. Por força das fotos, este casal está a ser mostrado como o paradigma do chico-espertismo, quando foram centenas aqueles que prevaricaram.

Sou a favor de que o prevaricador deva ser punido. Porém, que o seja na proporção da gravidade da infracção.

Quem dirige revistas, sabe melhor que ninguém que a publicação de imagens desta natureza, seja a que título for, constitui uma violação quiçá bem maior do que a que foi cometida por este casal. Não é com falta de ética que se combate a falta de ética.


Que atire a primeira pedra, aquele que nunca falhou, mas apesar da grande consideração que tenho pelos directores de ambas as revistas, tenho que manifestar a minha discordância pela forma como trataram o assunto. A pedagogia vale muito mais que a exposição na praça pública, como se fossem criminosos, de pessoas de bem que apenas se queriam divertir. 

Repito: considero reprovável o comportamento destes atletas, mas não menos reprovável - por desproporcionada - a exposição pública que deles foi feita, sem que eles tivessem sido ouvidos.



6 comentários:

Jorge Branco disse...

Bem eu discordo em absoluto desta opinião.
Anda muito gente a encanar meio mundo (e sobretudo a encanar-se a eles próprios)e aproveitam precisamente esse pudor que há em divulgar nomes e fotos!
No UK publicamos uma lista de desclassificados na Meia Maratona de Lisboa do ano passado. Este ano optamos por não o fazer por vários motivos mas se não fosse o gigantismo da tarefe achamos que a melhor via era publicar nomes e respectivas fotos!
Aliás já temos visto divulgadas fotos de homens a correr com dorsais de senhoras em várias provas e ninguém ficou assim tão incomodado com a divulgação das fotos. Se calhar as pessoas confundem amizades pessoais com outras coisas.
Eu já perdi alguns amigos que tinha na corrida por descobrir que eram batoteiros.
É defeito meu não consigo manter amizades com pessoas que tomam determinadas atitudes mas cada um é como é.
E fico por aqui neste assunto Mestre Fernando Andrade para chatices já me basta a Troika! Uma abraço.

Fernando Andrade. disse...

Respeitosamente, amigo Jorge, já tinha lido a sua opinião e concordo com o combate a estas fraudes. Não concordo que seja assim, a menos que fosse reincidente, com uma postura negativa. Esquecemo-nos também do que terá levado a este tipo de comportamento? Foi-lhe dada a oportunidade de pedir desculpa? Devem ser erradicadas as razões que levam a esta conduta : preços exagerados das inscrições; impossibilidade de correr se ficar lá para trás; verificar que na zona vip partem pessoas que só vão a caminhar impedindo a corrida logo de início, etc. Tudo isto leva à chico-espertice, que eu condeno, mas que diabo!? isto é uma corrida! Ninguém deve ser tratado como malfeitor.É desta desproporção que falo. Grande abraço.

JoaoLima disse...

Caro amigo

Vez não são vezes e desta vez tenho uma opinião contrária.

Penso que ambas as revistas actuaram da forma correcta pois sendo defensoras do Atletismo, e implicitamente das boas práticas, têm a obrigação de defender o nosso desporto de quem o desvirtuou, actuando igualmente de forma educativa para propagação da maneira correcta de proceder, além do necessário alerta.

Não deixa de ser curioso que quando uma organização tem um deslize, e alguns provocados involuntariamente, de imediato as redes sociais fervilham com criticas a torto e direito, como se tudo tivesse sido mau, e chegando a insultos pessoais, mas quando é um atleta a prevaricar, há toda uma série de cuidados para não ofender quem tentou fazer passar por parvo as organizações e os outros atletas.
Sejamos claros, somos todos adultos e temos que ser responsáveis pelos nossos actos, sejam de que natureza forem.

Há quem engane as organizações, e faça gala disso, não pagando as suas inscrições. Se todos fizéssemos tal, mataríamos as nossas corridas, um grande bem que temos, logo não podemos pactuar com qualquer atitude, apontando quem não cumpriu (e nesta Meia houve falcatruas de diversas formas)

Não há razões aceitáveis para actos desses. O que o caro amigo aponta como possíveis razões, não são, no meu entender, válidas.
Preços exagerados? Corta essa corrida.
Impossibilidades de se correr se ficar lá para trás? Nunca me acontece na Ponte pois, como quero começar a corrida a correr, levanto-me mais cedo. Não posso é chegar à hora que quiser e arranjar um truque para passar à frente de todos (se esta razão fosse válida imagine-se o que sucederia se todos fizessem o mesmo)

Sei que isto é uma corrida, apenas uma corrida, mas vivemos em sociedade onde as regras de bem estar, ética e honestidade, têm que estar presentes e é nestes pequenos pormenores que vemos como a chico-espertice ganha forma e alastra-se a todos os sectores, transformando a sociedade no que estamos a passar.

Não podemos ficar à sombra do nacional porreirismo e deixar que os que não cumprem com regras cívicas vençam pelo cuidado em não ofender quem acaba por ofender quem se esforça por nos proporcionar a prática do que amamos fazer.

Um abraço, caro amigo

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Fernando...não tenho a certeza se estão a falar do que estou a pensar: um casal de quem sou amiga também aparece na Spiridon a ilustrar um artigo sobre falcatruas na Meia de Lisboa. (já nem sei onde vi isso - algures na net, no FB) que por falta de verbas já há muito tempo de deixei de ser assinante) Esse casal nessa prova fez falcatrua? Foi "apanhado" ? Azar!

Todos erramos, pois é verdade. O perdão é muito bonito, pois é, mas isso altera alguma coisa? Não. Factos são factos. Falta de ética à revista porque mostra 2 atletas que enganaram a organização quando houve centenas deles a fazerem o mesmo? ora isso faz-me lembrar o argumento da minha miúda que reclama com o professor por ralhar com ela por estar a falar se todos estão a falar!!! Pois, mas ela estava a falar!!! é um facto! Foi apanhada! Azar! Tem de ser repreendida! é o que lhe ensino. Se há quem roube e não seja apanhado, então teremos por isso também direito a roubar ou a enganar sem consequências porque os outros não foram apanhados ou denunciados e também não sofreram consequências?!

As nossas acções tẽm consequências. Ponto. E factos são factos. Não considero qualquer falta de ética a revista publicar a foto. Não está a mentir, não está a levantar falsos testemunhos (acredito nisso) por isso tem todo o direito de o fazer.



Fernando Andrade. disse...

Queridos amigos João Lima e Ana Pereira

1º - Nunca disse que se deveria encobrir quem usasse de más práticas;
2º - Achei apenas exagerada a exposição pública do casal por ter pintado o dorsal de amarelo (bem sei que isso lhe daria acesso uma certa quantidade de mordomias, mas muito provavelmente, a única que pretendiam, era sair lá na frente). É errado; é condenável! Ponto.(também sei esta, Ana, eheh) mas mostrá-los ao mundo como o exemplo do mal é que me pareceu desproporcionado em relação à infracção cometida.

Quanto à ética...bem, por muito menos, levei com um processo por ter publicado um texto que não caíu bem a um certo senhor. Fosse a imagem publicada do "senhor comendador Luis Parro", que haveria consequências para as revistas.

Se quisermos ver as coisas de uma forma simplista, é fácil: ou há batota ou não há batota. Há o preto e há o branco. Mas a vida é a cores. Entre uma e outra há muitas nuances.

E há uma coisa que tenho a certeza: é que todos falhamos. E quem for implacável no julgamento dos erros dos outros não pode estar à espera de brandura quando chegar a hora dos outros julgarem os seus.

Sou mais por uma boa pedagogia e só consigo expressar opiniões que estejam de acordo com o que penso (mal ou bem).

Por último...sabem uma coisa? que necessidade tinha eu de me meter nisto?

Luis Parro disse...

AMIZADE: Um bem que prezo e valorizo. Não confundo Amizade com favorecimento e ou branqueamento. Tenho Orgulho em ser Amigo do Fernando Andrade e da Ana Pereira, e amigos dos meus amigos meus amigos são.
Nunca porei um Amigo de parte por alguma atitude que eu não goste, poderei sim confrontá-lo e esclarecer a situação, já aconteceu...ainda agora por causa da bola deletei um no FB mas irei esclarecer pessoalmente e tudo voltará ao que era.
Esta introdução serve para dizer que o assunto das fotos estava encerrado, já fui condenado, aceitei a condenação e a vida continua, as razões do que aconteceu foram 2 da minha inteira responsabilidade e apresentarei a quem me pedir. Se eram boas ou não, por vezes há razões que a própria razão desconhece...Mas como o Fernando e a Ana vieram aqui falar no assunto e outra Amiga que prezo parece que leu os meus pensamento e escreveu exatamente ponto por ponto UMA das razões, e essa é simples:
Porque é que na MM da ponte existem atletas de 1ª, 2ª e 3ª categoria, divididos por compadrios e poder económico, isto tem um nome...
Porque é que na zona VIP estão autocarros de participantes na mini que vão atrapalhar atletas que têm de partir lá de trás e levam com aquela parede logo a abrir
Porque é que atletas com provas dadas e que ganham escalões têm de partir lá de trás
Isto é UMA das razões, a outra e que foi o LEITMOTIV não posso revelar porque é muito pessoal, e tenho a certeza que a organização se a soubesse até me tinha oferecido os dorsais...
Quanto a escolherem a nossa foto para exemplo, tudo bem, se servir para acabar com o Doping, com os homens que correm com dorsais de mulher para ganhar prémios monetários e esta que ninguém ainda apanhou, um atleta que anda bem leva os dorsais dos amigos coxos que estão a 5 kms da meta e siga, os famosos "corredores do metro" para ganhar a SWET, etc...
A Atleta´Fernanda é UMA feroz defensora disso!
Mas penso que se calhar a escolha não foi por aí...Nós somos os Atletas de pelotão mais bem vestidos e estamos sempre com um sorriso para todos, talvez a nossa alegria contagiante de dar sem ser para receber tenha criado alguma... Somos os percursores de muitas coisas boas do Atletismo de Pelotão.
Muitos Atletas revêm-se na nossa postura, todos temos os nossos bons e maus momentos, e um mau momento(na opinião de alguns)não consegue apagar os BONS!!!!
E só para finalizar, não somos SANTOS!!!!
LUIS PARRO - 26-05-2014