sexta-feira, 23 de maio de 2014

"Desacordismo ou desactualização"?

Ia eu levar o meu cão a passear, quando vejo no chão, um folheto de propaganda eleitoral: num fundo azul, bem iluminadas, destacavam-se, lado a lado, duas conhecidas figuras da Aliança Portugal, que têm estado no P.E. a “representar-nos”.

Apanhei o papel, mais na esperança de que me viesse a fazer falta para apanhar eventuais “presentes” do cachorro, do que com a ideia de o ler. Mas, de soslaio, leio que, e cito : aquele grupo de candidatos era uma excelente “selecção”. Mais à frente, leio “projectos” duas vezes, assim. E pus-me a ler a mensagem e… mais uma: “directa”!

Fiquei admirado, pois todo o texto estava em Português correCto!

De tanta coisa que se propõem fazer, a melhor seria convencerem os seus pares do governo a deixar o País escrever como eles.

Ou então… foi sem querer, pois ao estarem há 5 anos no PE e por usarem menos o Português, ainda não se aperceberam do que os seus amigos da governação fizeram à nossa Língua.


Ou então, ainda… por lhes “cheirar” que haveria eleitores que escolheriam aqueles que repudiassem o acordês, apresentaram-se assim, candidamente, escrevendo daquela forma que dá gosto ler. Quanto ao conteúdo, isso já é outra conversa.

1 comentário:

Jorge Branco disse...

Pois..
Nesse papel só se aproveitava mesmo a falta de acordo ortográfico!
Mas para apanhar as necessidades fisiológicas do fiel amigo (não sei o nome mas se fosse meu era o Rampas! he he he he)o papel era perfeito!
Abraço.