domingo, 12 de março de 2017

Prova nº 5 - 3º Trail da Costa Saloia














Não estava previsto, mas lá fui até ao Mucifal na esperança de poder participar em mais um trilho da minha região: o 3º Trail da Costa Saloia, organizado pela União Mucifalense, com o apoio técnico dos Trilhos Perdidos, na distância de 23 Km. E participei mesmo. Aqui vai um agradecimento especial aos meus amigos da Caixa Geral de Depósitos, André Noronha e Pedro Lopes).
Gostei. Percurso bem sinalizado, avisos nos locais de maior perigo, Km marcados de 2 em 2, bons abastecimentos,  paisagens bonitas, piso bastante diversificado, entre areia, terra batida, estradões, carreiros em terrenos particulares, riachos para atravessar. Fiz muitas paragens, tentando arranjar umas fotos para recordar.
A saída e a chegada deram-se junto à sede do clube organizador, que dispõe de excelentes e modernas instalações. O tempo ajudou e aí, caros amigos da organização, devem sentir-se muito satisfeitos, pois não sei como seria se, no troço denominado  “Trilho das Ovelhas”, o piso estivesse molhado !  É certo que estava lá o aviso muito bem visível, mas, na falta de alternativa, mesmo que se redobrassem os cuidados, a queda seria inevitável para muitos corredores. Mas não choveu e falar sobre como seria se tivesse chovido é estar a entrar no campo da especulação. Prossigamos: muito agradável percorrer todo aquele enorme vale que vai do Mato Grande à Praia de Magoito, onde aparece o primeiro obstáculo a sério, que foi a subida de uma enorme duna (onde estava um controlo de passagem, animado com música)até à rampa asfaltada que desce para a praia. Depois, o passadiço de madeira, de fácil transposição e a ponte da praia. Passa-se o “Trilho da Raposa” e segue-se, depois, um outro “petisco” , a enorme “Rampa da Mimosa” ao cimo da qual lá estava a vaquinha a pastar (fazendo jus ao nome) perto do abastecimento, de onde se continuava a subir até ao mirante. Fabulosa paisagem da costa e do mar. Cem metros de descida ate à linha das arribas, ao longo das quais seguimos até à Praia das Maçãs, passando pela Aguda e Azenhas do Mar. O vento forte a dar-nos nas costas, facilitava o andamento.
Da Praia das Maçãs ao Mucifal, foram 6km já sem dificuldades, num piso muito mais favorável ao pessoal da corrida do que do trilho, que gosta mais dos chamados “percursos técnicos”.

Chego à Meta na casa das 2,50H, (em 216º entre 359 classificados), com boas sensações.

1 comentário:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Fernando, a última frase diz TUDO: "Chego à Meta .../... com boas sensações."

Que bom! Saudades dessas sensações tenho eu :) Mas lá voltarei (já faltou mais)


Se não, for antes...até às Lampas :)