sábado, 7 de janeiro de 2017

O Treino dos Reis


À partida, junto à Fonte Mourisca

Com o Paulo Neves, num dia que lhe é especial

Com o Palácio da Pena iluminado

Com o "culpado" Nuno S.Marques

"Gente coisa é outra fina" - Nos Seteais

A convite do pessoal amigo dos Run Lovers, lá fui participar no Treino dos Reis, em Sintra. Confesso que o “apetite” era pouco,  mas senti que lhes devia a minha presença. E fui. Ainda bem que fui.
20, 30h, Volta do Duche, Fonte Mourisca. Ali se reuniram 26 convivas, que iriam ser dirigidos pelo Run Lovers – Mor,  Nuno Sentieiro Marques, que já tinha idealizado o traçado a percorrer. Feita a foto de grupo, lá nos encaminhámos para a Vila Velha, Rampa da Pena acima.
Todos conhecem a mística da Serra de Sintra, que, na escuridão da noite, assume outra intensidade que nos domina. O que vemos é negro, mas sabemos que é o verde que nos envolve. O verde e o espírito de amizade. Não havia pressas. Fiquei na cauda do grupo, que ia subindo, e conversando sobre uma hipotética prova a introduzir no nosso panorama das corridas.
Paragens aqui, paragens ali e o reagrupamento ia-se fazendo.
Quase sem darmos por isso, tínhamos feito uma volta de cerca de 11 Km.
À nossa espera, estava um reconfortante  repasto, com bolo-rei, bolo-rainha, broas castelar, chocolates, ginjinha, vinho do Porto e outras coisas, a animar ainda mais um grupo que já se sentia feliz pelo treino magnífico que acabara de fazer, passando por locais idílicos escondidos na serra.
Obrigado, amigos “corredores apaixonados”, por me terem proporcionado participar neste vosso convívio em ambiente tão agradável.  Um excelente presente de reis.

Grande abraço a todos.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Retalhos da vida de um "corredor"



Está feita mais uma "manta" com os dorsais de 2016. Ficou curta. Se tapo o pescoço, descobrem-se-me os pés.
Ficou assim composta:  2 Maratonas ( Lisboa e Porto); 3 Meias ( 21 da Eco-Maratona Lisboa, Nazaré, Descobrimentos); 1 de 20 Km (Cascais); 1 de 16,7 Km (Fim da Europa) 3 de 15 Km (Sinos, 1º de Maio, Fogueiras); 4 de 10 Km (Stº António, Tagarro, S.S. Olivais e S.S.Lisboa).
Embora satisfeito com o que fiz, fica-me uma certa tristeza por ter deixado de ser totalista nalgumas clássicas : UMA, UTNLO, Meia Maratona na Areia. Mas algum dia tinha de ser.
Mas continuo totalista na Maratona do Porto (13 edições); Lisboa Rock´n´Roll (4 edições); Corrida de Santo António (6 Edições); S. Silvestre de Lisboa (9 edições). Até ver, que a eternidade é coisa que ainda "não me assiste".


Breve balanço de 2016


Aí está. Chegou o momento em que confrontamos a incerteza do que nos reserva 2017 com a certeza do que nos presenteou 2016 .
Em termos de Corridas, foi fraquito. Resume-se a um quadro de poucas linhas. Mesmo assim, tenho razões para estar satisfeito por ter a sorte de continuar a poder correr . No que depender de mim, se não puder fazer melhor, que consiga fazer algo idêntico.  Bom ano de 2017.