segunda-feira, 2 de maio de 2011

30ª Corrida do 1º de Maio

O dia em que “ia apanhando porrada…”

Um sprint "maluco" com o meu colega F.Celestino

...e as "consequências"

Lá estive na celebração do 1º de Maio, com a opção da Corrida. Era a 30ª edição e esta é daquelas que faz parte do meu calendário de uma forma regular. 15Km, distância desta vez, devidamente aferida, com partida e chegada no interior do Estádio 1º de Maio, passando pelas principais artérias da capital, com metade do percurso a descer e a outra metade a subir.

Tudo ia bem. Numa passada mais ou menos controlada, sabia que tinha de guardar alguma reserva para subir a tenebrosa Almirante Reis.

Já na Av.da Igreja, a pouco mais de 1Km da meta, vejo lá à frente, um colega de equipa e reparo que, mesmo sem forçar, lhe vou ganhando terreno. Entramos na 1º de Janeiro e logo a seguir no Estádio. Continuava a ganhar-lhe terreno e vi que era o Fernando Celestino. Ao entrar na última curva da pista, estava ele a uns 20m, pensei:- “Bom… vou apressar para ver se chego junto com ele para a rubrica da nossa equipa, “De mão dada com…” onde se coleccionam imagens de chegada conjuntas. Rapidamente o apanhei e dei-lhe um incentivo. Ele reagiu e sprintou. Eu não quis ficar a trás, prolonguei o “forcing” e ultrapassámos um outro atleta, ele pela direita e eu pela esquerda. Sem querer, e já em cima da meta, dei um toque tangencial a este atleta que acabara de ultrapassar, que o irritou, mais pelo susto que pelo desequilíbrio.

Como era minha obrigação, pedi mil desculpas a este atleta:-“ ganhe lá isto à vontade, homem! Não é preciso é andar a empurrar os outros!”, disse-me ele.

-Tem toda a razão, meu amigo, mas isto foi apenas uma brincadeira entre mim e o meu colega, mas volto a pedir-lhe desculpa.

- Se é isso, peça uma pista só para vocês, pá !

A conversa acabou ali, pois se a ele faltava fair play, não lhe faltava a razão. E eu também já não podia fazer mais nada.
Com isto até me esqueci de ver o tempo real, mas como “bem mandado” que sou, deixo a promessa de que só voltarei a sprintar, quando tiver uma pista só p’ra mim.

Ora eu… que até nem sou de me meter em caldinhos…

Estás a ver no que é que deu a brincadeira, Celestino? Não te apanhei, mas ia "apanhando",eheh.


14 comentários:

Carlos Castro disse...

Bem... se o amigo Fernando não foi desclassificado, é porque o empurrão não foi assim tão grave!
Eh! Eh!...
Vê-se que está em grande forma!
Isso é óptimo!

Abraço!

MPaiva disse...

Fernando,

Eu sou daqueles que, muitas vezes, se metem nesses sprints tipo "campeão dos pobres" e, felizmente, nunca tive problemas desses. Sendo compreensível que o cavalheiro não tenha gostado, seria normal que, face ao pedido de desculpas e à plausível explicação, tivesse compreendido e aceite as desculpas. Infelizmente nem todos conseguem ter espírito de fair play suficiente para isso...

abraço
MPaiva

horticasa disse...

Boa corrida, realmente aquela avenida é que nos trama.
Quanto ao desentendimento há sempre alguém com frescuras, para pegar por dá cá aquela palha, releve.
Gosto muito dessa prova mas quase sempre me corre mal, por isso este ano fui apanhar as favas e trabalhar no campo, deixei as corridas para outro dia.
um beijinho e até já eugénia

Filipe Fidalgo disse...

"Padrinho" Fernando.
Parabéns por mais uma corrida bem conseguida, com direito a sprint e tudo. Como é lógico o atleta tinha razão, é pena não ter compreendido a sinceridade do cidadão, enfim. O qua a alguns sobra a outros falta, e o fair play é algo que nasce com os grandes atletas não se apreende nem se ensina.

Um grande Abraço.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

ah ah ah... pois é Fernando, podia acabar mal :)

Um beijinho
Ana

Luis Parro disse...

Grande Fernando,
Gostei de o ver na partida e parabéns pela prestação!!! Quanto ao resto, não ligue...é chuva na areia!!!!!

JoaoLima disse...

Afinal sprintar pode ser perigoso! :)

Uma vez numa corrida sprintei porque ia com o fito de entrar num determinado minuto e a coisa estava muito à pele, e nesse sprint ultrapassei outro atleta (sem lhe tocar) que no final me criticou por lhe ter tirado o lugar perto da meta. Expliquei-lhe que a minha intenção não era ganhar qualquer lugar (quem me conhece sabe que não corro por lugares mas apenas por tempos) e que estava a tentar uma determinada marca. Concluiu a conversa dizendo que eu não conhecia as regras, o que muito me intrigou. Será que ele reescreveu regras e impôs que ninguém passa ninguém no final?!?
Ah! E não consegui o tempo que queria por 1 segundo... Acabei no minuto seguinte no segundo 0...

Um abraço, amigo Fernando

Vitor Veloso disse...

Olá Fernando,
Se fosse a reclamar de todos os empurrões que levo era melhor nem ir correr.... mas na corrida para atletas de "pelotão" isto e inevitável acima de tudo tem que haver fair play.
Eu vi o sprint e estava cheio de vontade, na altura não percebi, mas tinha alguma razão.
ate uma próxima
Abraço

Manuel Romano disse...

Amigo Fernando, tem de ter cuidado com os caldinhos em especial em datas como a do 1º de Maio.

Jorge Branco disse...

Numa corrida do 1º de Maio presenciei uma cena de pugilato entre um espectador e um amigo meu (que ia a fazer a prova) no Martim Moniz.
Eu como vinha de trás agarrei o tal espectador pelo pescoço e encostei-lhe um joelho nas costas (numa fui de andar em brigas nem sei como fiz aquilo!).
O meu amigo “pisgou-se” rua da Palma acima e eu libertei o sujeito e fiz o mesmo!
Ainda hoje não sei porque foi aquela cena de pugilato nem como consegui imobilizar o tal sujeito!

tutta disse...

Nem ligue pra essas coisa não Fernando.
Em uma prova é nprmal um atleta se chocar com outro.
Se o cara não gostou que alguém esbarrou nele, então fique em casa da próxima vez. hehe
Abraço e parabéns pela participação na prova e pelo "duelo" final com o seu amigo.


tutta/ubiratã-50anos
www.correndocorridas.blogspot.com

marli disse...

Bom dia Fernando,
Passando para te desejar um maravilhoso final de semana regado a muita energia positiva e surpresas agradáveis!!!
Boas energias,

\o/ simbora correr!
Se for treinar, Bons treinos.
Se for correr, Boa prova!

@marlipalugan
www.marlipalugan.blogspot.com
..... ~o
......<\_
...(_)/(_) meu transporte diário!

joaquim adelino disse...

Fizeste-me rir Fernando, eu estava a ali perto e não me apercebi da cena, mas este rir faz-me bem e é saudável. A reação do "outro" até é anedótica e engraçada.
Abraço.

Alberto Gião disse...

Tal como o amigo João Lima, também já ouvi referências às "regras"...

Se no decorrer de uma prova mais ou menos longa ocorrerem ultrapassagens, está tudo bem.
Se porventura um corredor (ou porque é rápido a terminar, ou porque se poupou durante o percurso e tem uma reserva de energia) acelerar nos últimos metros, cai o Carmo e a Trindade, como se existisse uma linha imaginária a determinar o ponto a partir do qual é proibido ultrapassar.

Confesso que já reagi grosseiramente a bocas, nas circunstâncias atrás descritas.

Saúde da melhor para todos!