segunda-feira, 14 de novembro de 2011

37ª Meia Maratona Internacional da Nazaré



Obrigado Carlos Lopes

Lá estive, para a visita anual à “Mãe”, embora sem outro objectivo que não fosse o enorme prazer de marcar presença e “passear” naqueles 21km onde desfilaram mais de mil pessoas que partilham do mesmo gosto que eu pela Corrida, entre as quais pude saudar muitos amigos.

A Organização continua em grande. Acho até que tem apresentado algumas melhorias nos últimos anos, o que é de louvar e faz-nos acreditar que a longevidade da “Mãe” continuará a ser uma certeza.

Sobre a minha prova fi-la sem preocupações. E sem relógio, mais uma vez. Porquê? Porque descobri que o relógio gera sempre alguma pressão ao obrigar a que percorramos o mesmo espaço em cada minuto que passa. Mas, para além da relatividade entre o espaço e o tempo, há um outro factor que, quanto a mim, tamabém entra nesta "relação" e é o mais importante : a resposta do nosso organismo.

Ou seja: querer fazer os primeiros 10Km a 5’/Km pode ser muito bom, ou pode ser muito mau, em função do estado em que lá chegamos. Da mesma forma, pode ser rápido andarmos a 5’/Km e lento a 4,45’/Km. É claro que isto é uma verdade de La Palisse, mas é comum esquecermo-nos dela. Assim, passei a ter como única referência, o meu estado para fazer uma corrida agradável.

Assim foi , hoje, na Nazaré em que, não fossem os tempos de passagem que nos eram ditados de 5 em 5Km, só no final saberia se fiz um tempo bom ou mau. Mas sabia sempre que tinha feito uma boa corrida. Por falar em tempos de passagem, se não me falha a memória, foram

23,30; 47,50; 1,12; 1,36 e terminei com 1,41,15.


A chuva, principalmente a partir dos 14Km, foi nossa companheira, chovendo copiosamente na altura da chegada e no percurso até onde tinha o carro, que me serviu de abrigo e de … balneário.

Parabéns a todos aqueles que, mesmo com as condições climatéricas tão duras, conseguiram preparar esta excelente Prova, que é a grande referência das Provas de Estrada em Portugal e faz parte do meu historial enquanto corredor (orgulhosamente, devo ser das pessoas que mais vezes ali correu, pois desde a 4ª Edição, falhei apenas umas 3 ou 4).

5 comentários:

horticasa disse...

Bom dia, parabéns pelo tempo magnifico.
Eu cá também acho que não saber os tempos e ir descontraidamente km a km sem pensar, pode ser bastante produtivo.
Gostei de o ver, bj eugénia

Carlos Lopes disse...

Bom dia Fernando

é sempre bom rever um atleta como Tu.. Deixo te um abraço

joaquim adelino disse...

Bela prova fernando, e uma boa forma de enfrentar as provas com o corpo a comandar. Abraço e até à Noturna.

luis mota disse...

Olá Fernando!
Mais uma presença habitual na Nazaré.
Uma semana depois da Maratona do Porto já em bom ritmo. Grande Maratonista!
Grande abraço

Jorge Branco disse...

Já corro sem pernas agora tenho de experimentar sem relógio!
Sempre vou mais leve!
Estão-se a rir? Há alturas que a o peso do dorsal é insuportável!
(hihihihihihihihihihihihi)