terça-feira, 31 de dezembro de 2013

S. Silvestre de Lisboa

Com o meu amigo Nuno Marques, 5 minutos antes da partida.

Apesar das condições físicas e anímicas estarem em baixo, entendi por bem participar na 6ª S. Silvestre de Lisboa. Afinal, quando se “respira” Corrida, uma constipação não passa de um mal menor e, vendo bem as coisas, poderia também, com essa participação, homenagear uma pessoa muito querida (minha sogra), que nos deixou e fora a enterrar na véspera.
Com uma organização de alto nível e envolvendo gigantescos meios, esta S. Silvestre de Lisboa é um dos grandes eventos desportivos do País, pois ter  8000 pessoas a correr nas ruas de Lisboa, decoradas com belíssimas iluminações de Natal, constitui um espectáculo desportivo inesquecível.
Mas, lá está, quanto maior a nau, maior a tormenta e houve aspectos que foram descurados e logo aproveitados pelos “caçadores de deslizes”. Refiro-me ao caso do “guarda-roupa” cujo funcionamento deixou muito a desejar. Já escrevi noutro local (FB) sobre o assunto, mas houve, nisto, uma certa ingenuidade quer por parte da Organização, quer por parte dos atletas.  Como é que a Organização poderia assegurar serviço eficiente de guarda-roupa a 8000 pessoas (vá que fossem 4000 a utilizá-lo) sabendo-se que, numa prova de apenas 10000 metros, durante meia hora chegam, no mesmo segundo, atletas às dezenas e todos quererão o seu saquinho com a roupa? E como é que os atletas não previram essa incapacidade e arriscaram ?  Enfim… ter-se-ia evitado uma mancha numa Corrida de Excelência.
Quanto à prova que fiz, como disse, apenas pretendia participar e, como tal, fiquei-me por uns modestos 49,48 (T.chip) ou seja, 50,15 oficiais. Resultados Aqui. Infelizmente não fiquei com foto de chegada, mas cheguei com toda esta gente:  http://videos.sapo.pt/rvvPwUdLlswOAvb3dMSB



1 comentário:

Nuno Sentieiro Marques disse...

Obrigado pela referência meu amigo.
Grd abraço