segunda-feira, 17 de março de 2014

24ª Meia Maratona de Lisboa

Antes (com a Sofia e António Guedes,Sandra Martins e Nuno Espírito Santo)

Depois (com Nelson Alegre e o Francisco Ferreira)


Tenho amigos que não alinham na Meia Maratona de Lisboa porque não gostam de confusões. É muita gente, apanha-se uma grande seca, não se consegue correr no início da Prova. Respeito. É legítimo que se sintam melhor optando por outros destinos onde encontrem ambientes mais pacatos, onde se sintam mais livres e não “acorrentados” no meio de uma multidão de 38 mil almas.
Pessoalmente, é sempre com um enorme prazer que ali estou no meio daquela gente toda que, pelo menos por um dia, se submete ao poder da Corrida. Apreciar o trabalho de quem teve que coordenar toda a complexa logística que uma prova destas implica, é também um enorme atractivo. Um trabalho gigantesco que, naquilo que observei, foi efectuado sem grandes falhas. Aliás, e por justiça, devo dizer, sem falhas, se considerarmos impossível a perfeição na orientação de 38 mil. Apenas o escoamento após a chegada foi pouco célere, por distracção dos seguranças (?) que deixaram apenas uma cancela aberta para evacuação de toda aquela gente que se acumulava, mas que foi resolvido, abrindo outras cancelas.
Em relação a anteriores edições, a animação esteve excelente, com várias bandas ao longo do percurso. Os abastecimentos também estiveram à altura.
Uma prova com 38 mil pessoas a correr constitui uma enorme Festa do Desporto, a celebração da Modalidade, na “Catedral da Corrida” que é a Ponte.
Eu, que sempre achei que a Modalidade deveria ser promovida para que cada vez fosse maior o número de praticantes, não me sentiria bem que, atingido esse objectivo, me pusesse agora de lado. Estive lá e gostei muito. E voltarei a estar sempre que a saúde mo permita, mesmo que sob pseudónimo, como foi o caso deste ano (Pedro Sousa -dorsal 6023).
Quanto à prova que fiz, não foi má : rápido até aos 5Km; abrandamento até aos 15, a que se seguiu a  recuperação de ritmo. Termino com o cronómetro da meta a indicar 1.45.34 (1.44.14), na 2074ª posição. Em 2013, fiz 1.46.05 (2142º).


4 comentários:

JoaoLima disse...

Parabéns por mais uma, Fernando!

Um abraço

Jorge Branco disse...

É tão bom ouvir uma analise tão correcta sobre a organização desta mega prova por alguém que sabe mesmo do assunto e é um ENORME organizador de uma prova GIGANTE do Portugal dos Pequeninos!
Também eu já não me dou bem em grande ambientes e confusões mas é um gosto meramente pessoal e nada tem a ver com a excelente organização da meia de Lisboa.
Mas para o ano quer lá estar até porque ela faz 25 anos e eu estive a colaborar (voluntariamente) na primeira edição e nas 9 seguintes.
Quanto a prestação do Mestre Fernando Andrade é de Mestre e pronto!

K disse...

Subscrevo, Mestre! Quanto à organização, quanto a mim, foi a melhor de sempre (desde que temos números perto dos 40 mil)! A ideia de não apanhar o empedrado da Praça do Comércio e o desviar da saída da meta para os jardins de Belém, permitiu um escoamento melhor na entrega dos sacos e dos gelados :)

Anónimo disse...

Mestre
pena que desta vez não te vi, não podia estar mais de acordo contigo e se foi bonita a festa num dia em que foi batido o número de atletas classificados numa prova em solo Luso, muito bom.
Quanto às "palavras" não são 5 anos, são 7...
Abraço.
António