domingo, 23 de março de 2014

II Trilho das Lampas -Reconhecimento








A primeira das fotos é do Luis Canhão (o seu a seu dono), as outras são do meu telemóvel.
(Não fiz nenhum selffi porque erro sempre a cabeça, eheh)

Foi com enorme satisfação que recebemos hoje, logo às 8 da manhã, um excelente grupo de amigos que aceitou o nosso convite para fazermos um treino de reconhecimento do II Trilho das Lampas, cuja prova oficial está agendada para 10 de Maio.
Grande adesão, quer de atletas experientes, quer de iniciáticos que, de tanto ouvirem falar nos trilhos, resolveram ver e sentir, por si próprios, como é que isto “funciona”, que necessidades especiais é que se tem que ter em conta.
Depois de uma pequena apresentação feita junto ao coreto da localidade, do que se iria passar e sobre as diferenças relativamente a 2013, o grupo saiu do Largo e,  pela R. 5 de Outubro e Estrada do Coval, embrenhou-se nos caminhos velhos e pedregosos indicados no traçado da prova e ficou a envolvência que a natureza proporciona, o riacho a correr, a velha ponte moura, o estreito carreiro de lages, a velha fonte da Bolembre, a ponte da Fonte da Pipa (em madeira, porque a de pedra partiu-se, a velha azenha recuperada (que em tempos pertenceu ao meu avô) mas que hoje não tinha a roda a funcionar, campos verdes, poças de água, passagens por locais elevados com um grande raio de visão, descida para Catribana ("castro junto ao rio" é o que significa o topónimo), velho povoado neolítico  junto à ribeira ( já que há os Trilhos do Paleozóico, porque não aproveitar a deixa e falar do Neolítico? – estou a brincar), a descida, por caminho pedregoso, para as Brecas,  local de confluência da Ribeira de Bolelas com a da Samarra (onde há um açude de construção romana), nova travessia da ribeira, antes da subida por carreiro para o mirante do Casal de Pianos a que se seguiu a zona irrespirável da suinicultura, que obrigou a apressar o passo até à Praia da Samarra, onde havia um abastecimento preparado para ajudar a retemperar as energias, antes de se percorrer a faixa costeira com os vales da Ribeira da Mata e Ribeiro Fundo a complicarem a progressão, até que se chegou à ponta da Vigia, o grande areal sem acesso ( e que a administração central está pouco interessada em construir). Depois foi o virar as costas ao mar e encaminharmo-nos para as traseiras de Assafora, Cortesia e novamente Catribana, com a sua afamada ponte e calçada romana ( património classificado, mas que se vai degradando ano após ano, tardando a sua recuperação) passagem pelo Casal do Coval e terminando onde se tinha iniciado estes quase 20 Km de animada correria.
Este trajecto, foi percorrido em diferentes ritmos, mas o colorido dos corredores, deu a estas paisagens a componente humana que lhes falta, enriquecendo-as.
Pelos opiniões ouvidas, tratou-se de uma boa iniciativa em que, mesmo os estreantes, expressaram bem o quanto gostaram de participar. Isso deixa-nos felizes e é quanto basta para acharmos que valeu a pena fazermos o convite a quem foi tão amável connosco quando tinham várias outras opções de corrida para esta data.
A todos os que estiveram connosco, um grande obrigado, por cá terem estado  neste ensaio. Um abraço também àqueles que gostariam de ter estado e não puderam.

Venha o dia 10 de Maio. E não esqueçam que só há cento e poucas inscrições disponíveis. 

5 comentários:

Eugenia Do Vale disse...

Parabéns Fernando, a sua terra é linda, tenho que lá voltar para ver esses sítios todos mas, como turista, com olhos de turista, porque hoje os olhos eram só para ver onde punha os pés...
Beijinho

Fernando Andrade. disse...

Muito obrigado, Eugénia. Mas olha que aqueles sítios só podem ser visitados assim mesmo, a pé , eheh.
Beijinho.

Ze Carlos disse...

Obrigado Fernando pela tua hospitalidade. Percurso muito bonito que conto voltar a apreciar no dia 10 de maio! Abraço

Zé Carlos

Fernando Andrade. disse...

Eu é que agradeço, Zé Carlos.
Foi uma honra ter-te cá e a tua avaliação do percurso é muito importante para nós.
Grande abraço.
Fernando

Didier Valente disse...

O percurso da 1ª edição já era muito bom, mas aqueles trilhos extra vêm enriquecer ainda mais a prova.
Parabéns pela escolha.
O meu dorsal já está reservado e dia 10 lá nos encontraremos para mais um dia de festa.
ps: As marcações e abastecimento pareciam os de uma prova oficial!