terça-feira, 24 de junho de 2014

BES CHALLENGE - CORRIDA STºANTÓNIO

Disputou-se no passado dia 7 de Junho, em Lisboa, a última das Provas do BES Challenge 2014. Desta vez, o escriba, foi o meu amigo e companheiro da ACB, Nuno Espírito Santo. Como se vê na foto, acabei com os "bofes de fora". Por isso, o melhor foi mesmo aproveitar a agradável prosa que ele colocou no forum da nossa Equipa e tomar a liberdade de a transpor para aqui para o "cidadão". Muito obrigado, Nuno, pelas tuas palavras (que me enchem de vaidade) e pela consideração que é recíproca.


Afinal de contas... o plano saíu "furado" . 

O homem não pode ir e como tal acabei por não fazer o "pleno", com ele.  
Perante tal cenário, tive de pensar rapidamente quem havia de acompanhar... em substituição.  
Como me calhou um dorsal sub60 (nunca cheguei a compreender o critério, pois a minha  "cara metade"  teve sempre dorsal sub50 ) não tinha muito por onde escolher . 
Só tinha uma alternativa: começar a abrir, em busca de algum companheiro de equipa. 
É claro que o "transito" (começando cá de trás) era mais que muito e correr a bom ritmo... era mentira  .
Mas, entre uma aceleração aqui, um desvio ali, lá fui andando até me aparecer pela frente o... Fernando Andrade.  
Ora perante tal oportunidade - de correr lado a lado de um atleta popular, de tamanha importância - não pensei sequer duas vezes.  
Ao longo destes vários anos, tenho corrido/acompanhado diversos colegas/amigos... até já lhes perdi a conta . 
Mas, por incrível que pareça, nunca tinha tido oportunidade de correr lado a lado com o Fernando Andrade    e, sem que tivesse procurado, eis que tinha surgido a oportunidade . 
Foi tal e qual como sempre pensei: um IMENSO prazer.
Para além de termos falado de várias coisas, trocado várias impressões, o Fernando   é daqueles (como eu já desconfiava) que não vira a cara "à luta".  
Entre uma conversa e outra, lá íamos imprimindo um ritmo bem "agradável", de tal forma que desde que me juntei a ele (perto do km e meio) que foi um galgar terreno.  
Foi passar e passar e passar... a coisa estava simplesmente fantástica  
A cada km que passávamos, ia-lhe dizendo o tempo que estávamos a fazer (já que ele não levava relógio... para quê, se ele próprio é um relógio suíço   ) e a coisa não abrandava.  
Por exemplo, o último km revelou-me um Fernando  com uma "pujança" para um sprint final que eu não imaginava.    
Resultado final: 46min, tempo Garmin
Se eu já tinha uma admiração imensa pelas suas faculdades "pendulares" para provas longas, no domingo passei a admirá-lo, também, pela fibra que demonstrou numa distância que não é, particularmente, a sua preferida  
Muitos parabéns e obrigado pela companhia, Fernando.      

Sem comentários: