sexta-feira, 27 de junho de 2014

SEMINÁRIO PARA DIRECTORES DE PROVAS DE ATLETISMO FORA DO ESTÁDIO



Seminário para Directores de Provas de Atletismo Fora do Estádio
COMUNICADO

Como tem sido largamente difundido, a FPA agendou para os dias 19 e 20 de Julho de 2014, um “Seminário para Directores de Provas de Atletismo Fora do Estádio” sendo que a partir de 1 de Janeiro de 2015 (!), não serão homologadas quaisquer provas que não tenham um director certificado com a frequência deste seminário.

Sendo bem recebida toda a notícia que vise aproximar a FPA das organizações, dotando-as de conhecimentos técnicos que aumentem a qualidade dos eventos, apontem soluções para se ultrapassar problemas e se harmonize os procedimentos com que as organizações são confrontadas, vemos com algumas reservas o carácter tão taxativo que aqui se revela, impedindo a realização legal das provas que, por qualquer razão, não consigam estar representadas neste seminário. (Soubemos, entretanto, que haverá um segundo ainda no 1º trimestre de 2015).

A questão que se coloca prende-se com o elevado número provas, nos vários pontos do País, que não têm a possibilidade de responder a este “ultimato” e enviar o seu director a Lisboa para ser devidamente credenciado. (Ainda que tenha uma segunda oportunidade em Março de 2015).

Estamos em crer que a FPA, com este seminário, vai ao encontro daquilo que é desejável para todos os agentes desportivos envolvidos na Corrida Popular, mas passarmos do oito para o oitenta em termos de inflexibilidade na norma criada, não será a melhor forma de “chegar ao terreno”. A nosso ver, este seminário deveria dar início a um período transitório em que, se passaria primeiro, pela advertência e só depois, pela proibição (mas só depois da FPA ter dado a possibilidade - quer em termos de calendário, quer em termos de distribuição geográfica das acções - dos muitos directores frequentarem o dito seminário).

Se não houver essa condescendência e se a FPA for rigorosa em manter esta norma, muitas provas de qualidade deixarão de se poder realizar ou passarão à clandestinidade. E se a FPA não conseguir assegurar os mecanismos que garantam o cumprimento de uma regra que ela própria determinou ficará, de certa forma, descredibilizada.

Como em tudo na vida, quer da parte dos organizadores, quer da parte da FPA, deverá haver bom senso na implementação de uma nova medida que, voltamos a sublinhar, é da maior importância para que a Corrida fora dos Estádios ganhe referências que lhe assegurem a qualidade que todos desejamos.

Pelas razões expostas, e recomendando embora a participação das provas neste seminário, tentaremos sensibilizar a FPA para que a entrada em vigor da nova medida se faça com a justiça devida.
Lisboa,26 de Junho de 2014.

Pela APOPA,

Fernando Andrade

4 comentários:

Joao Campos disse...

Deixando um comentário igual no Facebook, repito-o aqui para "manter o histórico" ;)
Um abraço.

--
Meu caro, isto é o país dos oito ou oitenta como sabemos.

Várias questões se me levantam pessoalmente com este seminário, começando pelos critérios de avaliação para o director de uma prova ser certificada ou não.

Ou seja, basta frequentar o seminário para que uma pessoa fique certificada a ser director? Não deveria haver um exame final para aferir os conhecimentos apreendidos?

Quando dizem, também "É objetivo do Seminário definir padrões mínimos de qualidade para a certificação de provas de atletismo fora do estádio, de modo a proporcionar aos participantes a qualidade organizativa, o apoio médico e a segurança necessárias na participação de um evento do genero." eu digo:

Certo, os padrões ficam definidos mas, a entidade coordenadora, que presumo seja a FPA, irá verificar, nas provas com directores certificados, se os mesmos padrões são definidos? Cá estarei para ver...
--

Fernando Andrade. disse...

Caro João
no final haverá um exame para avaliação. Como é uma primeira acção, muito ainda se desconhece e, concerteza, muito ficará por melhorar. Mas ...aguardemos.
Abraço.

Jorge Branco disse...

Só a favor de tudo o que seja pelo bem da corrida agora enquadramento à pressão não sei se resultam!...
Vamos ver...
Já houve tantas provas "piratas" e o atletismo deve tanto a elas...
Quanto ao Trail há uma grande desproporção entre os intervenientes da aérea da estrada e do trail...Mas se pensarmos que até há um circuito de provas de trail que esta noutra federação que não a FPA!
Enfim é como digo vamos ver mas as corridas vão continuar com directores certificados ou "clandestinos" disso tenho a certeza!
Um abraço.

Luis Parro disse...

Caro Fernando:
Vou aproveitar esta frase que li aqui:
"Já houve tantas provas "piratas" e o atletismo deve tanto a elas..."
Cómico, não é...Quando UM Pirata pinta um dorsal de Amarelo...LOL
Luís Parro