segunda-feira, 6 de outubro de 2014

2ª Rock'n'Roll Maratona de Lisboa








A Maratona tem destas coisas: umas vezes corre bem, outras mal. Mas corremos sempre. Prepararmo-nos bem não é garantia que tudo vá sair conforme o esperado, mas se nos prepararmos mal, de certezinha, que aquilo não pode correr bem. Apesar de tudo, há que ter a noção de utilizar um andamento adequado logo de início, para retardar ao máximo, o aparecimento da fadiga e o “estrago” ser o menor possível.
Ontem, sabia que muito dificilmente poderia apontar para uma marca inferior a 4h. No entanto, há sempre aquela ideia que levamos tudo controladinho e a passagem à meia, com 1,56, era um bom indício, pois sentia-me bem. Aos 30km, porém, começo a baixar de ritmo e a aperceber-me que a confiança se tinha ido toda embora e a única coisa que tinha a fazer, era deixar-me ir, penosamente, até à meta, ainda por cima, na zona menos atractiva do percurso.
Mas vamos ao início:
Impressionante o número de pessoas que se concentraram junto ao hipódromo de Cascais, de onde iria partir a Rock’n’Roll Maratona de Lisboa. Com quase 4 mil atletas, foi uma primeira grande surpresa! Alguns problemas no som, apenas resolvidos no preciso momento da partida, talvez tenham retirado algum do brilho inicial na animação que tão grande concentração humana justificaria.
Tudo em marcha. Coloquei-me cá atrás e já o relógio do pórtico marcava 2,30’ quando por lá passei. Tanta gente! Utilizámos alguma parte do percurso dos 20Km de Cascais, antes de nos lançarmos Marginal fora, até Lisboa.
Desta vez havia mesmo bandas ao vivo fazendo jus à designação da Prova e logo aos 5Km, mais coisa menos coisa, já se ouvia “It’s rainning men, aleluia…”  e eu, aproveitando a música para me moralizar, transformo-lhe a letra: “I’m a running man, aleluia…” e levo-a comigo até aparecer a banda seguinte que cantava qualquer coisa dos Xutos. Depois  “Foram Cravos, Foram Rosas”, Pinck Floyd , etc e foi ao som do “Let´s Twist Again” que entrei na Praça do Comércio para ir dar a voltinha aos Restauradores. Apesar da música ser incentivadora, acho que foi aqui que me fui abaixo das canetas.
Estação do Rossio e Restauradores: recebo o estímulo da grande campeã Chantalle Xchervelle e do amigo Vítor Veloso (este em funções de controlador), mas a coisa estava por pouco. Passa por mim, o Tigre a lembrar que no ano passado, por aquela altura, fez a mesma “gracinha”. À chegada a Stª Apolónia e notando que estava a reduzir muito o andamento, achei melhor fazer uma paragem, à boa maneira dos Trilhos, em que o tempo conta pouco (excepto para os “prós”). Bebo calmamente a água e dou uns passos, para me pôr novamente a correr. Lá vem a malta da Meia (que tinha partido 2 horas depois de nós) e, nos últimos 8 quilómetros corremos lado a lado. Agora era aguentar. Meia para a esquerda, Maratona para a direita. O almejado pórtico a marcar 4.06.55, registando o chip 4.04.29. No ar, o som contagiante dos UHF, mas tinha que me vir embora.
Estava feita mais uma Maratona, que não me deixou muito satisfeito, mas não tenho que me queixar a não ser de mim mesmo, que não me preparei adequadamente. Que me sirva de 1º grande treino para a Maratona do Porto.
Quanto à Organização, gostei muito. Subiu muitos “furos” em relação à do ano passado. Só não gosto das “misturas” da Meia com a Maratona, nos últimos quilómetros, não que cause confusões, pois tudo estava bem controlado, mas há diferenças de ritmo que andam constantemente “a bater” na nossa mente, tipo :” este vai fresco, é da Meia” ou “este vai de rastos, é da Maratona”, sem que tenha que ser necessariamente assim.
Muito bonita, a Medalha - e pesadinha - com as cores do circuito “Rock n’ Roll”, a merecer destaque na minha colecção.





https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

7 comentários:

Rui Pinho disse...

Fernando, provas há muitas, amigo, e nunca saem como queremos.
Forte abraço, e até ao Porto.

JoaoLima disse...

Bem ou mal, uma Maratona concluída é uma Maratona conquistada.
Muitos parabéns!

Um abraço

tutta disse...

Parabéns por mais esta maratona completada Fernando.
Abraço e boas corridas.


tutta-Baleias/PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br

Sílvio Horta disse...

Mais uma para o currículo, isso é que conta! Um abraço

Alexandre Duarte disse...

Gostei Fernando. Do relato e principalmente de saber que terminaste mais uma Maratona, que é sempre um marco importante na carreira dum desportista, ainda por cima um desportista acima dos 50. Concordo com tudo o que escreves e revejo-me nas dificuldades que também foram as minhas. Tal como tu nunca me sinto com o treino adequado e tal como tu também fiquei sem 'combustível' aos 30. Parabéns uma vez mais e a gente vê-se por aí.

Hugo Adelino disse...

Fernando,como bem diz,mais uma maratona a juntar a tantas outras,boa!Parabéns! :)

j. Costa disse...

Pois é Fernando a mim no domingo aconteceu um pouco do que acabas de escrever (na meia de ovar)mas os dias não são todos iguais .Excelente relato de uma prova estou certo não lhe vai ficar na memoria.Um GRANDE abraço e até ao Porto.