segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Ovar...

Ovar amado, tens a maioral
Das Meias de Portugal!
Para a corrermos, quantos viajaram,
Quantos ténis por ti passaram,
Quanta gente te pôde contemplar
E respirar a ria, o bosque, o mar ?…

Valeu a pena? Sim, valeu a pena
Ser figurante desta bela cena.
Quem quiser ser um simples corredor
Não precisa passar o Bojador.
Nenhum perigo espreitou quem te correu
Nesta terra de verde, de água e …céu.


"Le poeme avant le relate", ehehe

2 comentários:

luis mota disse...

De casa cedo parti
Rumo a Ovar
Quando cheguei
Quem havia de encontrar!
A Maria e o Andrade estavam à conversa
Interpolei-os para me apresentar um pouco à pressa.
Apressamo-nos então para os pequenos “tomarem a corrida”
Da próxima, sem pressa, ninguém arreda pé
Está combinado,
Temos mesmo é que “tomar um café”

José Capela disse...

Bom dia, Fernando

Embora muito fugazmente, foi um prazer cumprimenta-lo pessoalmente.

Boas corridas e obrigado pelas excelentes palavras que nos brinda
sempre.

José Capela