quarta-feira, 19 de novembro de 2008

PUUUUM !!!!!






















“… e a terra, de tal maneira é graciosa,que querendo-a aproveitar dar-se-á nela tudo!”

(Da carta de Pêro Vaz de Caminha a El Rei D. Manuel, sobre o achamento do Brasil)



No vasto ciberespaço onde navego
Qual mar imenso e qual casca de noz,
O blogue bem singelo em que me entrego
É garrafa que leva a minha voz.
Sem pressas, à deriva, eis que lá chego
À Terra, feita de benditos pós,
De Vera Cruz, mais tarde, do Brasil
Onde um que se semeia, vai dar mil.








6 comentários:

Álvaro disse...

Fernando!

Que maravilha de poema, e que coisas maravilhosas ele prenuncia!
Sim, "à la" Camões, que foi o Poeta do Renascimento, a tua poesia aponta para esse maravilhoso Mundo Novo que os Cibernautas vão sulcando.
Na verdade, ainda a semana passada, falando na NET para o Brasil, comentei que "Os Lusíadas" bem podiam considerar-se o Hino dos Cibernautas actuais. A eles, há que acrescentar, com toda a dignidade, mais esta tua bela estrofe...!
Abraço
Álvaro

NK disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NK disse...

Boa Fernando!

Fui dos primeiros, e já não apareço, deve ser bom sinal
... :(

Ricardo Hoffmann disse...

Bravo!! Bravíssimo!!

Fernando Andrade. disse...

Caros amigos

obrigado pelas vossas palavras gentis.

Grande abraço.
FA

luis mota disse...

Bela mensagem Fernando.
Todo o sucesso para si e para este espaço,
Luís Mota