quinta-feira, 30 de abril de 2009

A Corrida e as Fotos




Ao meu Amigo Orlando Duarte
(pela sua crónica na AMMA e no Mundo da Corrida, sobre a Corrida da Liberdade, em Lisboa)


Andava o grande “atleta - retratista”
Registando beleza em abundância,
Calcando o duro asfalto em negra “pista”
Ali juntinho ao rio de Constância
Em marcha a ré p’ra ter uma outra vista
(Sem, contudo, perder a elegância…)
Escorrega o pé! um esgar, uma careta
E eis o Orlando estendido na valeta.

Dias depois, o intenso cheiro a cravo
Atraía a Lisboa a multidão.
Celebrava-se o feito mais que bravo
Comandado pl’o jovem capitão.
Corria a Liberdade, o “Desagravo”
E o “repórter”, de máquina na mão,
Pretendia tirar muitos retratos
Aos que ao tal capitão estavam tão gratos.

Também aqui – maldade do destino -
Ficou ele arredado do sucesso
Quando num movimento repentino
Virou todo o seu plano do avesso:
O músculo doeu-lhe! E o desatino
Só o fazia ver na perna gesso.
Terminou na ambulância - e não a pé-
Mas… fotos a correr, p’ra si, “jamé”!

Com os desejos de rápidas melhoras.

1 comentário:

Que política em Campolide disse...

Grande Fernando!

Muito obrigado por estas oitavas.

Quanto aos retratos a correr, se tu dizes “jamé”…então é sinal que vai haver mais retratos (tendo em consideração o “jamé” do Ministro), espero é não haver mais contra-tempos…

Obrigado pelas melhoras e, já agora, desculpa qualquer “coisinha” que tenha acontecido à tua máquina,

Um grande Abraço

Orlando Duarte