segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

24 Maratona de Lisboa

No princípio, tudo bem (olha o A.Almeida ali pertinho e eu que não o vi)

A chegada, com o Nuno Kabeça


A Medalhita

Acho que terminei com a “chave de lata” o meu ciclo de maratonas de 2009. Ora vejamos:

1.Fev. – Badajoz – 3,46,09
23.Fev.- Sevilha – 3,46,04
26.Abr. - Madrid – 3,31,33
10.Mai. - C.Lopes- 3,33,21
8.Nov. – Porto - 3,28,50
6.Dez. – Lisboa - 3,46,32

Acrescente-se ainda o Raid Melides-Tróia (43Km)e o TNLÓbidos (39km).

Nesta Maratona de Lisboa, tudo decorria sobre rodas: (o levantamento dos dorsais numa feira muito mais espaçosa e “recheada” que nas anteriores edições, num estádio 1º de Maio que, tanto em termos de condições para um evento destes, como em acessibilidade, bate as pontos a Praça do Comércio), um número record de maratonistas inscritos, bom ambiente.
Fui cedinho e estacionei sem qualquer problema, mesmo junto à porta principal e, rapidamente, comecei a encontrar-me com gente amiga. Segue-se a foto de família com todo o pessoal da minha excelente e numerosa equipa Açoreana C. Banif (que, mais uma vez, foi a que maior número de maratonistas apresentou).
É rendida homenagem ao jornalista Jorge Lopes, grande especialista do Atletismo que ,há uma semana nos deixou e todos se concentram no interior do estádio à espera do sinal da partida.
Gostei daquele início, mas o facto de ter de se dar volta e meia à pista antes de sairmos, controlada apenas por fita balizadora em mãos humanas que deveriam separar os da frente dos da cauda do pelotão… ou tinha de estar muito bem ensaiado ou daria “caldeirada” pela certa. Infelizmente foi o que aconteceu para muitos atletas que, “no calor da pista” deram uma volta a mais, antes de se lançarem nas ruas de Lisboa. Estranhei que amigos meus que partiram mais à frente, só me passassem após uns 6km de prova !...e não me parecia que estivesse a exagerar no meu ritmo, como me disse o Jorge Serra, nosso líder : “ Eh Fernando, isso vai bem!” Mal sabia ele que já tinha feito mais 400m que eu, eheh .
Ora, sabendo eu que não tinha feito qualquer preparação específica (nem específica nem geral, pois desde a Maratona do Porto não voltei a fazer qualquer treino longo, a não ser a Meia da Nazaré) apontar para 3,30 era já querer muito. No entanto, achei que era possível e, por volta dos 12 km, alcanço o marcador de ritmo das 3,30, “escoltado” por um numeroso grupo. Não era tanto pela ânsia da marca, mas porque sabia que, atingida a Meia Maratona, iria encontrar vento forte pela frente e era prudente que me abrigasse atrás de alguém, pois o desgaste de lutar contra o vento, de certeza que iria acelerar a “decadência”. Assim me mantive entre os 12 e os 28,5, (já depois do retorno lá para os lados da antiga FIL).
Ia bem, mas aos 29, quando se começa a arranjar desculpas, “bateu-me nas ventas” um cheiro a transpiração que me pôs nauseado e a ter de encostar. E o grupo do marcador afastou-se. Não estive parado muito tempo (acho que não chegou a um minuto), mas foi o suficiente para perder o ritmo que custou a retomar. Tomei um gel e água e lá me fui recompondo. Por volta dos 35, passa o Tó Jó numa passada impressionante, que me deixou “pregado”(!)… eu que até pensava que me tinha recomposto ! Estávamos a chegar à Rotunda do Cabo Ruivo (que, cá para mim, passa a chamar-se “das Tormentas”). A partir daí, quem ia bem passou a ir mal e quem já ia mal, meus amigos, o único remédio era tornarem-se caminheiros. Lutei contra isso, pois sabia que não voltaria a reencontrar-me se, naquela fase, me pusesse a caminhar. Abrandei o passo de corrida, mas doía-me a anca direita em cada passada que dava e fiquei preocupado com algum distúrbio articular de que estivesse a ser vítima. A somar a isto , a “revolta intestina” que me levou a desviar a rota para trás de uns caniçais, já perto dos 40.
Na última rampa, alguém de bicicleta me dirige um incentivo. Era o A. Bento “Tartaruga” que vinha a dar força ao Nuno Kabeça, com quem fiz os últimos hectómetros. À entrada no Estádio, a claque do Mundo da Corrida dava-nos alento para aquele restinho da Prova (que agora já era “nivelado”) e o cortar da meta com o Nuno, com 3,46,32 fizeram cair o pano sobre a minha última Maratona de 2009.
A apreciação que fiz da prova, farei num próximo apontamento.

12 comentários:

luis mota disse...

Olá Fernando!
É uma proeza, ao alcance de poucos, o palmarés atingido por si este ano.
Correr uma Maratona é de enaltecer, 6 é Fantástico. Muitos parabéns!
Ontem era dia de correr a Maratona. Os tempos, com as condições que os atletas enfrentaram, são todos muito bons. Todos os que conseguiram concluir estão de parabéns.
Votos de uma boa semana.
Luís Mota

João Paulo Meixedo disse...

8 num ano, caro amigo, é obra!
Muitos parabéns.

Vitor Veloso disse...

Olá Fernando
Parabéns por mais uma maratona e pelo excelente tempo realizado
Grande abraço
Boa semana

André Pinto disse...

Parabéns pelo número de provas de grande distância realizadas ao longo deste ano!Os resultados para quem corre apenas por prazer, esses são sempre autênticos recordes!

Pedro Ferreira disse...

Parabéns Fernando!
O último grito de incentivo que recebeu já em plena recta da meta foi meu...

Mário Lima disse...

Olá Fernando

Por tudo aquilo que descreveste aqui (felizmente o desconforto não foi o cheiro de quem teve que fazer nos calções aquilo que fizeste atrás dos caniçais) e com as dificuldades da prova não se pode dizer que o tempo é mau. Fazer 6 Maratonas num ano é obra.

Foi um prazer conhecer-te e vai uma foto tua para o teu mail. Estavas a sair do Estádio e aquilo realmente foi uma grande confusão a não repetir pela organização!

Abraço!

Carlos Lopes disse...

Olá Fernando

Os meus parabéns pela prova.

António Almeida disse...

Olá Fernando
parabéns por mais uma e pela regularidade nas 6 maratonas de 2009, simplesmente impressionante.
Parabéns igualmente para a equipa Açoreana C. Banif, mais uma vez em grande nas maratonas realizadas em Portugal.
Grande abraço.

Fernando Andrade. disse...

Amigo Luis Mota
Obrigado pelos Parabéns que me diriges, mas que eu retribuo em triplicado, pois continuas com uma pujança impressionante, mesmo andando numa de ir a todas. E em todas obtens resultados demolidores.

Caro Meixedo
Obrigado pelas felicitações, mas o que eu fiz não foram maratonas, mas sim passeios de 42km !Se fosse a "dar no osso" já não era nada comigo! mas isso são outros quinhentos.

Caro Vitor
Obrigado. Excelente tempo... é como quem diz...podia ser pior, de facto, mas também podia ter feito menos 15m, marca que cheguei a admitir como possível. Mas a maratona tem sempre factores imprevisíveis, principalmente quando não se cumprem os "previsíveis" que era ter treinado em condições,eheh.

Caro André
Obrigado pelas palavras e pela visita a este espaço. Correr por prazer é, de facto, um lema que gosto de seguir. Se tiver prazer indo mais depressa, vou; se ir mais depressa implicar desconforto e sofrimento, abrando. Nenhuma marca justifica o risco.

Caro Pedro
Obrigado pelas palavras e pelo grito de incentivo final, que constitui uma das grandes recompensas pelo esforço feito.

Caro Mário
Obrigado também pelas palavras. É sempre chato termos de recorrer aos arbustos que a mãe natureza põe no caminho quando "vê" um maratonista aflito. Mas mais chato ainda é quando, nessas aflições, não encontramos um refúgiozito.
Foi também um prazer conhecer-te e vou estar mais atento ao "Hoje corro eu" (que já tentei por na minha lista mas há qualquer coisa que não está a funcionar bem).

Amigo Carlos Lopes
Obrigado pelos parabéns e Parabéns também à equipa de estafeta dos Leões de Porto Salvo, pela excelente classificação. Mas para o ano, se faz favor, é a Maratona que o chama,eheh.

Amigo António
Essa progressão está a atingir resultados estonteantes. Para quem, há pouco mais de um ano, andava ainda às "apalpadelas" na distância, ficando satisfeito com as 4 horas, já está a roçar as 3,30!!! Onde é que isso irá parar?!! Parabéns, António. Fico feliz por assistir a esses resultados.

A todos quero mandar um grande Abraço.

MPaiva disse...

Fernando,

Parabéns pela prova efectuada e pelo impressionante número de maratonas concluidas em 2009!
Como dizia alguém, quando eu for grande quero ser como tu!

abraço
MPaiva

Fernando Andrade. disse...

Olá Miguel
Obrigado pelas tuas palavras, mas deixa-me lembrar-te que, na tua idade, eu apenas tinha feito 3 ou 4 maratonas. A "maluqueira" surgiu-me depois,eheh.
Grande Abraço.
FA

tutta disse...

Parabéns Fernando.
Pô cara, 6 maratonas em 2009 e ainda outras duas provas de 43 e 39 km.
Tu é fera amigo.
Parabéns e tudo de bom sempre e que em 2010 tu possas competir tão bem quanto este ano que está para se findar.
Abraço.

tutta/ubiratã
www.correndocorridas.blogspot.com