quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Fonte das Melíadas



Olhai bem esta imagem, em tudo bela,
E dizei-nos, depois, porque esperais
Para entrar completamente dentro dela,
Percorrê-la e senti-la muito mais?
Todo a mística que há nesta aguarela
Em suor e em passos, degustais
E deixareis vincado em vossa mente
Que um feito mais ousado mais se sente.

Na longa praia os olhos se alongavam
Pelo extenso areal que percorriam
P’ra encontrar o rio que adivinhavam
Junto à serra que ao longe distinguiam.
Os lá da frente já nem se avistavam
Enquanto os cá de trás se divertiam
Passando todo o dia a “curtir bué”
A dádiva do Edil e… da maré.





2 comentários:

Jorge Branco disse...

Areia demais para a minha camioneta mas lá gostava, gostava mesmo!

Mário Lima disse...

Fernando

Vou tentar entrar dentro dela, espero é que ela me deixe chegar ao fim.

:)

Mais um desafio a vencer e que o tempo e a maré sejam nossos 'amigos'.

Até domingo!