sábado, 3 de agosto de 2013

5º UTNLO , o mais amargo













“- Oh Sô Fernando, isso é muito para mim. Não me meto nessas coisas!” Era o que tu me dizias quando eu tentava aliciar-te para experimentares fazer comigo a maratona ou aquelas ultras como a Ultra Maratona Atlântica (UMA) ou o Ultra Trail Nocturno da Lagoa de Óbidos (UTNLO). Tinhas sensatez e prudência bastante para fazeres o teu exercício sem grandes ambições competitivas e sem querer ir além dos limites que conhecias de ti.
Nunca insisti muito contigo, não porque tivesse dúvidas que conseguirias, mas porque estes desafios terão sempre de vir de dentro de cada um de nós.
Não te cheguei a contar como foi a UMA. E também não te poderei contar como vai ser o UTNLO, de logo à noite, enquanto a massa que utilizaste para estar entre nós, aguarda a transformação em pó.

Nunca insisti contigo, mas desta vez vais comigo, fazer o UTNLO. Cada passo que eu der, seremos os dois a dá-lo. Quero chegar, erguer os braços e dizer : “CONSEGUISTE, Paulo!” 

4 comentários:

Anónimo disse...

Lá estarei naquela chegada épica, medieval, ogival e linda, para VOS APLAUDIR DE PÉ!

Orlando Duarte

JoaoLima disse...

Um grande abraço de força, Fernando, nesta tua corrida a dois

Carlos Cardoso disse...

Força Fernando...uma bonita homenagem que o Paulo estará a acompanhar, esteja ele onde estiver.
Abraço

Jorge Branco disse...

Um corredor de fundo nuca corre sozinho por mais isolado que esteja.
Connosco correm sempre, em primeiro lugar, aqueles que passaram a ser apenas saudade.
Por nomes como o Francisco Pedro ou o Sálvio Nora tem cortado muitas metas comigo.
O Paulo deve ter gostado, muito, de ter cortado essa meta consigo amigo Fernando Andrade.