segunda-feira, 8 de setembro de 2014

10 Km de Tagarro


Com o Nelson, a Alexandra e o Francisco (Os ACBs presentes)


O agradável convívio no final (Com o Catita, Fernanda e Luis Parro, Manuela Folgado e João Maia)

Com o meu amigo e grande atleta ( e um dos homenageados) João Marques


Tagarro acordou, após ter estado em coma durante 16 anos. Mas acordou bem disposto, sorrindo para toda a gente que o visitou e sem ter esquecido absolutamente nada da grandeza que outrora exibia, quando era um dos expoentes máximos da Corrida de Estrada em Portugal.
Se a princípio, eu procurava arranjar uma desculpa para lá não ir (muito trabalho com a organização da 38ªMMSJL, por exemplo)  agora dou-me por muito satisfeito por  alinhar nestes 10 Km.
E os cuidados para que tudo corresse bem, notaram-se logo à chegada, onde grupos de voluntários tinham a missão específica de orientar o estacionamento, rentabilizando ao máximo o espaço existente para o efeito.  Duas simpáticas meninas distribuíam um folheto com informações úteis para os atletas que iam chegando.
Voluntários aqui, voluntários ali, todos de t-shirt laranja, ocupavam os seus postos, ora nos dorsais, ora na entrega dos sacos (e que sacos!??, contendo lembranças que testemunhavam bem o quanto tinham em consideração a nossa presença), ora nos cruzamentos, ora na colocação de baias, ora nos pontos de som com música de animação. 
Estes 10Km de Tagarro, compostos por duas voltas de 5 e que percorrem as estreitas e pitorescas artérias da localidade , também incluem as rectas da Estrada de e para Alcoentre, apresentam alguns desníveis suaves e curvas angulosas que o tornam pouco favorável a quem vai à procura de fazer grandes tempos. Mas o principal da Corrida não está nos grandes tempos que se fazem, mas sim no convívio que ela proporciona, quer durante quer após a Prova; na empatia que se gera entre os atletas e a organização. Isso foi plenamente conseguido.
Sentimos que fomos tratados principescamente e ao sairmos de Tagarro invade-nos a sensação de termos sido uns privilegiados, pois foram menos de 3 centenas aqueles que descobriram (ou reencontraram) este tesouro.

À fabulosa organização, quero expressar a minha gratidão por todo o carinho recebido nesta importante jornada e dar-lhe os parabéns mais que merecidos pelo enorme sucesso alcançado.

3 comentários:

JoaoLima disse...

É muito bom ver renascer assim uma prova, mais quando se lê o quão bem organizada esteve.
Um abraço e até Sábado!

Jorge Branco disse...

Nunca fiz essa prova mas lembro-me, bem, do nome dela, e é tão tão bom ver que ela renasceu de novo!

Filipe Torres disse...

Tenho tido algum trabalho em Tagarro e fiquei logo com curiosidade de participar nesta prova.. Não sabia no entanto que era uma clássica! Este ano não deu por causa das férias, mas para o ano vou fazer por ir.