segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Meio TNLO




Eu tenho para mim a ideia de que uma Meia Maratona juntamente com uma Maratona, se em termos de quantidade de atletas, pode ser positivo, em termos gerais, já não será tanto.
À semelhança do que acontece nas provas de estrada, a Maratona acaba por perder atletas que se ficam pela Meia. Já tenho ouvido a expressão que a “Meia canibaliza a Maratona”, pois são duas provas competitivas e com grande grau de exigência. Diferente seria – e se o objectivo era juntar muita gente – fazer, em simultâneo, uma prova de cerca de 10 ou 12 Km.
A fazer fé em comentários que li, o percurso da Meia teve várias “versões” com distâncias diferentes e isso acabou por dar confusão. Houve quem se queixasse que as atenções da Organização foram todas para a Maratona e o percurso da Meia acabou por ficar mal assinalado. É pena se isso aconteceu, mas estas coisas acabam por me dar razão : é bom ver aquela partida simbólica em que a principal rua da vila fica repleta de gente em movimento, mas é mau que para isso, tenha que ficar hipotecada a capacidade da organização para controlar eficazmente ambas as provas.
No que tive oportunidade de assistir (e penso que na generalidade dos corredores da Maratona) a Organização merece nota máxima pois não foram notadas falhas. Antes pelo contrário, todos se sentiram tratados “muitos furos” acima da média.
Estou convencido que o pessoal da Meia terá o “fair play” suficiente para compreender o que se passou e não será por isso que vão deixar de considerar esta Prova no seu calendário. As características únicas que ela tem, torná-la-ão um caso sério das Corridas de Trail em Portugal.
Fico a torcer para que o CAOB se mantenha apostado nisso e tenho a certeza que teremos uma das mais emblemáticas provas do País.
A única pergunta que deixo é a seguinte :- Porquê a distância de maratona numa prova como esta? Não seria preferível acrescentar-lhe um quilometrozito –como fazem na UMA e ficaríamos com um UTNLO? Sempre era mais uma “ultra” a registar.

7 comentários:

joaquim adelino disse...

Construtivo como sempre amigo Fernando, pena é que exista a presunção de que tudo tem de sair perfeito mesmo que se desconheça à partida os moldes e as dificuldades que uma realização destas sempre encerra.
Para mim o Trail deveria regressar à versão única da corrida de Maratona ou Ultra se a Organização achar vantagem na sua implementação, caso contrário continuará com uma estrutura pesada e muito difícil de controlar.
Compreendo o piranço, eu também não estava em condições de procurar fosse o que fosse e muito menos voltar a conquistar o Castelo naquela noite.
Abraço

luis mota disse...

Olá Fernando!
Aproveito para o felicitar pelo resultado alcançado.
A minha opção a correr ou a andar é a Maratona.
Quanto a formatos sugestão para aumentar o número de maratonistas.
Efectuar a Maratona por equipas (4/5 elementos), em que todos tinham de concluir ao mesmo tempo. Seria um evento em que o espírito de camaradagem e de entreajuda sairia reforçado.
É apenas uma sugestão!
Luís Mota

Anónimo disse...

Olá Andrade
os meus parabéns, uma semana depois da UMA melhor era impossível (excepto para o Mota mas esse não corre...voa).
Não penso que os "22" tenha tirado pessoal aos "42" já que estes até foram mais participados (ao contrário do que acontece nas maratona de estrada em que as meias quando existem em simultâneo são sempre mais participadas).
O percurso também não estava tão mal marcado quanto isso, o Xavier na sua 1ª vez não se queixou, também a Ana Paula o não fez, só para referir 2 pessoas que nós conhecemos, claro outros queixaram-se mas repare que são "estradistas", enfim, por mim se não existissem os 22 ia à caminhada, em Óbidos tinha que estar sábado à noite.
Abraço e se não for antes vemo-nos na "sua" meia.
Abraço,
António Almeida

Vitor Veloso disse...

Olá Fernando,
Na minha opinião o percurso da TNLO esteve muito bem baleado, óptimo trajecto terreno para todos os gostos, nunca me senti perdido consegui visualizar as fitas e as sinaléticas reflectoras, esta prova e de recomendar e de voltar muitas vezes o Serrazina esta de parabéns.
Isso mesmo vamos fazer força para que passe para UTNLO!
Forte abraço
Boa semana

Marli disse...

Passei para conferir seu post, Parabéns por uma Prova cumprida!
Bons treinos - Simbora correr...
www.marlipalugan.blogspot.com
Twitter:@marlipalugan

Fernando Andrade. disse...

Grande Adelino
O importante é que nos aguentámos à bronca nestes dois grandes desafios. Parabéns.
Tenho a certeza que a organização reflectirá sobre o que lhes traz mais problemas.

Caro Luis
É uma sugestão a considerar para desenvolver o espírito de entre-ajuda, cmo dizes. Porém, não deveria ser obrigatória, pois haverá muitos que têm dificuldade em arranjar uma equipa com 4 elementos.

Grande António
acho que a Meia retira pessoal à Maratona (lá está o Voltaire invocado pelo Mário Lima,ehehe). Claro que haverá uma parte -que até pode ser a maioria- que não iria lá se não houvesse Meia. Mas há outra parte que acaba por optar pela Meia, apenas porque devia ter feito mais uma ou duas semanas de treino para a Maratona, ou seja, tendo um esforço menor para fazer, nem pensa duas vezes.

Vitor
alinho já contigo para uma petição a favor do UTNLO, cuja dificuldade seria 1/5 do UTSF.Bora nessa.

Oi Marli
Obrigado pela visita. Vou conhecer seu blogue de seguida.

A todos um Grande Abraço.

FA
)

Jorge Branco disse...

Concordo, perfeitamente, com a ideia de acrescentar uns quilómetros a prova.
Não digo que sejam muitos até porque na verdade não temos assim tantos atletas para fazer grandes ultra maratonas mas sair da distância da maratona seria bom.
Puxando um pouco pela distância da prova julgo que 50 quilómetros seria uma algo “simpático”.
Eu penso que a maratona é verdadeiramente uma prova de estrada e que a fazer fora desse ambiente já não é uma maratona embora se corra a mesma distância.
A ideia de fazer uma prova mais curta até é interessante mas pode tirar atletas a outra prova e aumenta as dificuldades organizativas.
Porque não fazer apenas uma simples caminhada conjuntamente com a prova principal de modo a envolver as famílias dos participantes, julgo que seria suficiente
Outra coisa que reparei pelas classificações é que não seria mau aumentar o tempo limite. Bem sei que isso é uma “seca” para a organização mas eu defendo sempre a categoria dos “súper coxos” até porque estou inserido nela!
Por falar nisto: Em Portugal faz muita falta uma prova do estilo 100quilómetros em 24 horas para atrair mais gente para as Ultras.