quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Regresso à UMA...seca




Põe a água, tira a água
Um quer e outro não quer
Só que o voto na matéria
É o Edil que o tem que ter

E ele vai pelo seguro
E põe água na Comporta
Sabe que são todos duros
Mas não quer ver gente morta.

(…e diz o Almeida:)
-Com a mochila bem cheia
Não se chateia ninguém
E a malta chega a Tróia
Matando a sede que tem

(…e diz o Lima:)
-Só que alguns gastam mais tempo
Correm até à noitinha
E quando chegam a meio
Já nem há uma pinguinha.

Põe a água, tira a água
Um quer e outro não quer
Só que o voto na matéria
É o Edil que o tem que ter

E ele vai pelo seguro
E põe água na Comporta
Sabe que são todos duros
Mas não quer ver gente morta.

Estava o Lima a falar bem
E eu até o apreciei
Só que ninguém lhe perdoa
Não saber quem era o “rei”.

Vem o Parro cheio de calma
P´ra pôr água na fervura
Fala-lhe da “majestade”
Para ver se ainda o cura.

Põe a água, tira a água
Um quer e outro não quer
Só que o voto na matéria
É o Edil que o tem que ter

O Edil sabe que o melhor
É ter nele confiança
P’ra irmos fazendo a UMA
Em completa segurança.

E com esta discussão
Que não vai levar a nada
Vi o Lima e o Almeida
Andarem quase à estalada.

7 comentários:

Anónimo disse...

Olha que não Andrade, olha que não, hoje mesmo enquanto fazia a minha horinha noa real da Caparica tive um encontro inesperado com o Mário que por lá andava a banhos, para que cosnte somos 2 cavalheiros...ainda que duros, quanto à auto-suficiência é capítulo encerrado, pelo menos para mim e por enquanto.
Abraço e na sua "meia" água não falta, que o diga o Adelino que até tomou banho num dos tanques ao longo do percurso (havias de ver a cara do Arons que seguia por perto).
Abraço.

Fernando Andrade. disse...

Amigo António
nunca tive qualquer dúvida acerca do vosso cavalheirismo. A expressão usada no contexto, é obviamente, uma hipérbole, para intensificar a graçola.
Grande abraço.
FA

Vitor Veloso disse...

Viva
Só emoções fortes!! O que preciso e ter calma, não dar o corpo pela alma.
Abraço para todos

Luis Parro disse...

Amigo Fernando,
Uma tirada de Mestre!!!!
Eu, ao tentar pôr agua na fervura, pus-me a jeito, incendiei ainda mais...
Mas felizmente o seu atento poema resolveu a questão.
Até SJL!!!

Jorge Branco disse...

MAGISTRAL! Com o amigo Fernando a UMA, seguramente, nunca será uma seca!
Conto comigo na “míni Lampas” (estou na fase das míni que não me quero afogar!).
Abraço.

Mário Lima disse...

:)))

Magistral Fernando.

Só da tua "pena" podia sair uma "Seca" destas. Se o Quim Barreiros passar por aqui ainda faz um sucesso com a letra.

:)

Este ano irei até à tua Meia Maratona das Lampas. Só a fiz uma vez, no longínquo ano de 1994 no tempo de 1h28' (custou-me imenso, para início de época, aquelas "rampas" :) ). Nunca pensei que, anos depois, haveria de conhecer o responsável dessa prova ao vivo e a cores.

Tudo depende do meu futuro relativamente ao grupo onde estou inserido e só estou à espera de confirmação ou não da minha continuidade nesse grupo. De no grupo ou individual lá estarei. Prestarei assim a minha homenagem a ti que, durante tantos anos, ainda é timoneiro de uma prova com tantos anos de existência.

Para ti um grande abraço!

Fernando Andrade. disse...

Olá Vitor
Ninguém aqui dá o corpo pela alma. Dois bons amigos que se respeitam, mesmo que divirjam na opinião.Assim é que é bonito.

Grande Parro " o conciliador"
obrigado pelas palavras.

Jorge
obrigadão, mais uma vez pelas palavras. Quanto ao "magistral"...depois conversamos.

Grande Mário
obrigado também pelas palavras que aqui deixaste, ams os protagonistas da estória foram vocês. Eu apenas quis aligeirar a discussão, aparvalhando...sem malícia, como diria o outro.

Conto convosco em S.J.Lampas, no dia 11.
O Jorge Branco é que é o nosso grande relações públicas. A sério.
Grande abraço a todos.

FA