segunda-feira, 10 de junho de 2013

BESRUN 3


Foto: José Sousa



Do triplo desafio que o BES lançou,
A falta ao de Cascais me mortifica.
Optei  p’la que mais alto me falou
Que foi a grande Prova do Benfica.

Mas depois, já em Sintra, não faltei:
Subi, desci, no seio da multidão
E foi nesta segunda, que notei
Que esta Prova era de outra dimensão.

Finalmente, p’los Santos Populares
Lá vem Lisboa e cheio está o Rossio,
Com cheiro a manjerico pelos ares,
Fecha com chave de ouro o Desafio.

Em cada uma das três, uma lembrança:
-Frase forte gravada no metal-
Que juntas, vão formar uma aliança.
… E eu sem ter o segmento inicial…

6 comentários:

Álvaro disse...

Camarada, gostei muito do teu gesto
De correr Lisboa fora à disparada
Mas o BES, pr'a mim, é indigesto
demais para minha tripalhada!

É certo que entrei em outros fretes
Naquela das "novas oportunidades"
Corrida apadrinhada pel'o Sócrates
Do qual não tenho nem saudades

Mas se vivemos nesta sociedade
Das corridas com nome de padrinho
Com patrocínios e com publicidade
Que me metem tanto asco e abomino

Terei que correr então sózinho
Esperando a liberdade há-de vir
E puro, estóico e feito anjinho
Isolado, ficar sem competir,

Ou com o tropel dos camaradas
Corredores amantes da vida sã
Entrar em todas as corridas
E ajudar à UNIDADE de amanhã?

Anónimo disse...

O Fernando nao foi a Cascais
Mas ao Benfica não podia faltar
Em Sintra teve nota mais
E em Lisboa foi sempre a pedalar

Vermelhudo

Jorge Branco disse...

Magnifico poema como sempre mas essa "coisa" do BESRUN é algo para comer??
Aqui a raposa pode estar velha e manca mas parece-lhe que não gosta desse tipo de "comida".
Ela é mais a favor do Cozido à Portuguesa!
hihihihihihihihi

Fernando Andrade. disse...

Grande Álvaro, obrigado por tão agradável comentário, mas olha, já tens aqui o troco:
Se juntarmos um banco à malta tesa
Numa corrida, é certo que não basta
Mas pague ele da Prova essa despesa
Que aí a massa até nem é mal gasta .

Ficarmos arredados, por capricho,
Por sabermos dos lucros aos milhões,
Por toda a economia estar no lixo
Por obra de uma dúzia de ca…rões

Não me parece bem, desculpa lá.
Façamos nossas provas, sempre em frente
E que quem possa e queira, as pagará
Mas deixem-nos correr gostosamente.


Abraço.

Fernando Andrade. disse...

Bem vindo meu amigo Vermelhudo,
Ao modesto quintal do cidadão
Aparece mais vezes, que eu não mudo,
Gosto de ter amigos sempre à mão.

Fernando Andrade. disse...


Sai um BESRUN p'ra mesa do Canto
Que o cozido não consta na ementa.
E o Jorge vai correr que é um encanto
Mas sem comida é que ele não se aguenta.