sábado, 1 de fevereiro de 2014

A "desproletarização" da Corrida




ESTE TEXTO FOI FEITO COM BASE
 EM NOTÍCIA FALSA
 A QUE SE FAZIA REFERÊNCIA EM 

http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fwww.15kmlisboa.com%2Fbr%2Finscricao.html&h=wAQH7UeBh


Algo se passa no reino da Corrida!
Depois da polémica com as inscrições no Grande Prémio Fim da Europa (único ponto negativo que encontrei nesta excelente Prova sintrense)  surge, agora um novo caso, com a publicação do regulamento da Corrida do 1º de Maio.
Ora, esta Prova,  já balsaquiana,  que vai para a sua 33ª Edição, foi ganhando expressão ao longo da sua existência, não só por ser uma boa Prova na cidade de Lisboa, mas porque constituía uma forma interessante e festiva de manifestação, dando maior dimensão humana às comemorações do Dia do Trabalhador. Com inscrições de valor acessível à generalidade dos corredores,  e que visava apenas disciplinar o acto e evitar-se os abusos a que infelizmente se assiste quando são gratuitas, seria razoável que passassem de 4€ para 8 euros, vá . Mas o que acontece é que aplicam a taxa de 18€ (!!!) no período económico, transformando uma prova popular e quase gratuita, na prova mais cara (por Km) de Lisboa! Sem qualquer explicação.
Tratando-se de uma organização da União de Sindicatos, onde não falta quem passe o ano inteiro protestando contra  a exploração e a perda do poder de compra de que os trabalhadores têm vindo a ser vítimas, custa muito a entender esta medida.
Hoje ainda é o 1º de Fevereiro e até ao 1º de Maio ainda irá correr muita tinta sobre este assunto,  mas... que moral têm os sindicatos – que são os organizadores da Prova – para castigarem assim os trabalhadores que se associam à Festa a que eles próprios dão corpo?

Talvez estejamos perante um dos maiores contra-sensos a que assistimos neste binómio organização - corredores.  Quando os organizadores são empresas percebe-se que haja a mira do lucro e que o “produto” que se oferece seja suficientemente aliciante para que os corredores se sujeitem a taxas menos convidativas. É o tal mercado! Mas quando a organização da Prova é a mesma que representa os trabalhadores/corredores  porque é que lhes há-de exigir um esforço destes  a somar aos tantos sacrifícios que têm que fazer durante o ano?

Ainda bem que não é nada disto e peço desculpa à União dos Sindicatos por ter "embarcado".

TODOS À 33ª CORRIDA DO 1º DE MAIO

5 comentários:

Luis Venâncio Oliveira disse...

Caro Fernando Andrade porventura confirmou a notícia, a fonte é segura? Acho muito estranho que na União de Sindicatos não saibam disto! Se isso se confirmar será muito indelicado da sua parte dirigir estas palavras ao Movimento Sindical, o mesmo que representa muitos dos participantes na prova que por si é organizada!!! Confirme isto e depois comente sff

Fernando Andrade. disse...

Caro Luis Venâncio Oliveira, não inventei nada e o site está publicado com a chancela da União dos Sindicatos. Acredite que também eu fiquei incrédulo e por isso fui confirmar. Veja, por favor em
http://www.15kmlisboa.com/br/inscricao.html

E saiba que nada me move contra o movimento sindical. Por isso fiquei surpreendido, como o meu amigo ficou. Abraço.

Eugenia Do Vale disse...

Desculpe mas, fiquei na mesma, afinal quanto custa a prova?? Não percebi.
beijinho, eugénia

Fernando Andrade. disse...

Olá Eugénia. Ainda não se sabe quanto custa, pois a Organização ainda não publicou o regulamento. Mas 18€ não será.
Beijinho.

José Carlos Jorge disse...

Como é que alguém se deixa enganar por aquele site!
"Aquilo" até está escrito em brasileiro.
Deve ser para ver se caçam umas inscrições.
Grande Abraço