segunda-feira, 26 de abril de 2010

XXXIII Maraton Popular de Madrid

Linda!!!

Com o meu amigo Rodrigo Silva (foto da sua esposa)
-nesta altura ainda havia por ali algum espaço-



A minha Prova


Cedo, muito cedo mesmo, fui-me aproximando do local. O dia estava bonito, sem vento, nem frio, nem chuva, pelo que saí do hotel (cerca das 7,45) já equipado, sem necessidade de qualquer agasalho descartável. Já muita gente se ia movimentando por ali, mas o espaço na zona da partida era muito e dava para “deitarmos” a vista à distância, procurando detectar caras conhecidas, o que não demorou a acontecer. O meu colega da ACB, Pedro Burguette, foi o primeiro que encontrei, mas como ele ainda tinha de ir ao “guarda-roupa”, não voltei a vê-lo, se bem que me tenha mantido na zona próxima da linha de partida. Só que aquilo vai enchendo e, sem darmos por isso, vamos ficando “cercados”. Estava também ali o meu amigo Rodrigo Silva, do blogue “Fugindo ao Cão” (que tantas saudades nos deixou) e foi com ele que passei aquela meia hora que antecedeu a partida. Os paraquedistas, vindos lá de cima, aterravam milimetricamente no ponto estabelecido ante os aplausos dos corredores.
Como novidade, foi introduzida uma corrida de 10 mil metros, com partida no mesmo local da maratona, se bem que em corredor diferente. Tinha como atracção o grande “Gabre”, que, como era de esperar, correu só, tendo como companhia uma mota da polícia. Inscritos, ouvi dizer que estavam 4000 nesta e 9000 na Maratona.
Ao som de uma música fortemente moralizadora, foi dada a partida. Começámos imediatamente a correr, tendo demorado menos de 30 segundos a passar pela linha de partida. Nunca mais vi o Rodrigo.
Partir rápido não é bom, mas procurei o meu ritmo de cerca de 5’/km, o que não consegui logo. Nos primeiros 2 ou 3 km passo pelo pessoal do Porto Runners, comandados pelos experientes Luis Pires e Vitor Dias, que entenderam seguir mais devagar, pois tinham acordado seguir em grupo, onde havia um estreante. À Meia Maratona, levava 1,45h conforme tinha previsto, mas tinha a sensação de estar em quebra, o que é terrível para a força anímica que sabemos ter de manter até ao fim.
Ouço um cumprimento vindo de trás. Era o João Hébil, que andava a “treinar” para a sua próxima aventura em Junho. Logo a seguir, passa o pessoal do Porto. Estava, mesmo numa fase má. À entrada na Casa de Campo, cerca dos 23km, disse para o João seguir no seu passo (que era bem mais forte que o meu) que eu já o apanhava...se pudesse. Tomo um gel, que me fez – penso eu que foi isso - reanimar, encontrando uma passada agradável, confiante, fazendo-me novamente acreditar. 30Km: agarro numa garrafa de powerade, decidido a levá-la comigo até a esvaziar completamente, o que só aconteceu aos 40. 32Km : uma subida “tramada”, o público bem que incentivava os corredores, mas eram muitos os que se punham a passo, complicando até a vida aos que corriam, pois a passagem era estreita e, como não dava para zigue-zaguear, lá se via um ou outro encontrão. Sentia-me bem. 34km: mais um gel. Dois ou 3 km que ele demorasse a fazer efeito, mais dois ou 3 km que esse efeito durasse, mais uma hidratação adequada (até porque o calor nos “lembrava” dessa necessidade)... parecia-me que tudo estava controlado. 39Km : Recolletos (local da partida) passo pelo Vitor Dias que continuava na sua função de “agrupar” os elementos da equipa (Já o Luis Pires, um pouco antes, vinha dando ânimo a um colega) que me disse para seguir. Agora só faltava a demolidora subida de Alcalá, até entrar no Parque do Retiro onde se faria o último Km (um abraço, Jorge Branco). Mas estes 2 penúltimos eram penosos. Ouvia-se alguém do público gritar : “-Campeones, esta es la fuerza de Alcalá!” Os mais determinados cerravam os dentes e deixavam que essa força se juntasse à pouca que ainda tinham e “cresciam” por ali acima. Os mais resignados pensavam : “-tá bem, tá. A passo também lá chego!!!...” . Muito público nesta zona, que até complicava um pouco a passagem dos corredores. Entrada no Parque. Agora era a descer. Lá está a curva ligeira, uma enorme zona vedada, a sequência de pórticos e, finalmente, o que tinha o relógio: 3,40,34. Era hora de desligar também o meu :3,40,08.
Depois, dão-nos a medalha, um resguardo que, dada a temperatura, até nem fazia muita falta, água, cerveja, sumos, powerade, frutas,etc. Etc.
Regresso ao hotel e, depois de uma banhoca revigorante, apanho o Metro e ala para o Aeroporto.

9 comentários:

Anónimo disse...

Andrade
renovo os meus parabéns, pois é, 4000 nos 10kms e 9000 na maratona, elucidativo...
Assim também uma maratona com uma prova complementar de pequena distância, nunca uma meia...
Mas por cá parece que se teima em seguir o caminho errado excepção feita à prova da Invicta.
Abraço,
António Almeida

Vitor Dias disse...

Grande Fernando
Foi um prazer ter-te encontrado por 2 vezes durante a prova.
Aquela não é para meninos. As subidas e a temperatura deram-me cabo do físico, mas não me tiraram o prazer da corrida. Quando dizes que eu ía agrupando o grupo, até era verdade mas isso também aconteceu porque eu já não conseguia fazer muito mais. Como tu dizes e muito bem, a passo também lá se chega.
O certo é que continuas a ser um campeão que eu me orgulho de conhecer cada vez melhor. A tua garra e o amor à corrida é impressionante. Um grande abraço e até à areia.
Vitor Dias

José Capela disse...

Fernando,

Mas uma para acrescentar ao seu brilhante palmarés! E pelo que li esta é para bravos, pois é bem durinha!
Mas claro, o meu amigo tem experiência que chegue e sobra para contornar as dificuldades.

Não connheço ninguém que tenha tantas maratonas como o Fernando e duvido que haja assim tantos!

Abraço

José Capela

José Xavier disse...

Olá Fernando;

Mais uma maratona já está concluída. E que venham muitas mais com esse entusiasmo.

Parabéns.

Um abraço
Xavier

luis mota disse...

Grande Fernando!
Mais uma grande Maratona a acrescentar ao seu grande palmarés desportivo.
Agora segue-se a merecida recuperação.
Uma boa semana para si,
Luís Mota

JH disse...

Fernando,

Estragam-te com mimos ... gostei de te ver ao Km 22.
Até à próxima que coincidamos que ainda nao sei qual será.
Há que desmitificar esta maratona, nao é nenhum papao, o que se passa é que o pessoal nao conta com o calor e depois...de qualquer maneira nao estou de acordo com a introduçao de provas que nao têm nada a ver com a maratona, mas isso é outra discussao.
Abraço,
Joao

Fernando Andrade. disse...

Amigo António
Muito obrigado pelos parabéns. Não gostei muito da prova dos 10mil metros, mas enfim...são opções.
Abraço.

Grande Vitor
Muito obrigado pelas tuas palavras. Isto da maratona, mesmo que se aponte para um tempo idêntico no final, infelizmente, cada um tem de seguir o seu ritmo. É que todos temos momentos de quebra só que não é em simultâneo. Por isso, amigos, amigos mas...haverá outras alturas para pôr a conversa em dia,eheh.
Grande abraço, Vitor ( e eu é que tenho orgulho em que sejas meu amigo).
FA

Grande Capela
A dureza desta prova não é nada comparada com a beleza da cidade. Esta, apesar da fama de dura, não tem nenhum troço com aqueles 5km finais da maratona de Lisboa 2009.
Havias de gostar de fazê-la. Aponta-lhe as baterias para 2011.
Grande abraço.
FA

Amigo Xavier
Obrigadão pelas palavras. Mas olhe que em 2011, sou capaz de equacionar Roterdão. Vou começando a "palpar o terreno".
Grande abraço.
FA

Grande Mota
obrigado pelas felicitações. Esta é uma das que tu vais ter de fazer.
A coisa até nem sai muito cara, preparada com tempo. É só estar a pau com as promoções dos voos.
Grande abraço.
FA

Fernando Andrade. disse...

Olá João
Não te tinha visto. De facto esta gente estraga-me com mimos,eheheh.Boa gente de quem me honro de ser amigo. E tu estás p'raí a falar, mas também me tens "estragado" ehehe.
Pois passaste por mim~aos 22, tentei acompanhar-te e não era capaz, afrouxaste para me acompanhar e eu tive de te "espantar", acabei por me recompor e passar por ti sem dar por isso e tu viste-me e ficaste caladinho. Enfim... "esta no es un maraton más, es Madrid". E fica sempre na memória.
Grande abraço, João.
FA

Nuno disse...

Ola Fernando
Mais uma maratona mais um exito, porque acabar uma maratona e sempre um exito, independentemente do tempo que se faça.
Parabens Fernando
Abraço
Nuno