quinta-feira, 15 de julho de 2010

Malditas aparências!








Hoje, ao fim do dia, fui até à praia, para fazer 30m de corrida ligeira na areia. Já só estavam por ali dois ou três pescadores, pelo que todo aquele espaço estava por minha conta. O mar estava agitado, mas na vazante e tinha alisado toda a areia, que também estava compacta. Para ser franco, preferia que ela estivesse solta para melhor adaptação às condições do Raide. Assim, corri em condições privilegiadas e, diga-se, muito agradáveis.
Estava eu a correr há 10 minutos, avisto, a cerca de 50m, uma bola branca, muito perfeitinha, sozinha, na areia, como que a convidar-me para ir a “dar uns toques” até ao fim da praia e voltar. Pensei duas coisas: que seria a bola de um miúdo que o mar “pensou” em devolver quando ele já lá não estava, ou uma bóia que se tivesse soltado de uma rede de pesca. Qualquer das hipóteses serviria as minhas intenções, se bem que a 1ª fosse mais a meu contento. Fui-me aproximando e continuava a não tirar conclusões sobre a natureza do material de que era feita a bola. – Bom – pensei – se for uma bóia, também tem que ser leve. Deve ser qualquer coisa tipo poliuretano. Vai, chuta!!!
-“FÔ**?*?*?*?!!!!!-SE!!*!*!*!*!*”- Até vi estrelas! A bola andou meio metro e eu fiquei a saltitar sobre a perna esquerda com o dedo grande do pé direito a receber o efeito terrível do impacto. Outra vez o pé direito!
Continuei a correr, mas já não sentia grande prazer nisso, pois o rolamento do pé já não era normal, pois tinha que defender o dedo afectado. De regresso, trouxe comigo a maldita bola, só para ver o peso que tinha: 3,5Kg ! Que tal?
O dedo está um bocadinho arroxeado e muito dorido quando o pressiono. Estive a pôr gelo, mas dou comigo outra vez a dizer : mau Maria, mau Maria!
Não sei se vou poder correr nos próximos dias, mas estou a pensar seriamente em não voltar a treinar até ao dia do Raide. Ao menos assim, se me acontecer mais alguma, que seja em prova.
Mas que esta foi “muita estúpida!...” foi.

16 comentários:

joaquim adelino disse...

Vamos ver o que é que o amigo Jorge vai inventar agora, a sonhar quando se joga tudo pode acontecer, até cair da cama, agora acordado e cair numa armadilha daquelas, francamente.
Faz como eu, põe aí um pouco de travão pois só assim é que as nossas mazelas poderão melhorar. Isto depois dos 50 tem tendência em desaparafusar o descernimento e depois o corpo é que paga (neste caso, de ambos, foram "só" os pés).
Abraço

José Xavier disse...

Caro Fernando;

azar atraz de azar hein!!...dê mas é um pontapé nos azares e talvez seja essa a solução. Desejo boa recuperação...e muito gelo para curar as mazelas...se não ...não nos encontramos em Óbidos!

um abraço dos Xavier...já de férias na viagem a Portugal

Fernando Andrade. disse...

Oh Adelino
isto de futebóis não é mesmo connosco. Um sonha com ela, lesiona-se; outro pensa que é mas não é, lesiona-se.
Bom, mas eu acho que qualquer um caía (qualquer um...tão estúpido com eu,eheh) na armadilha, a menos que já conhecesse aquele objecto.
Afinal não cheguei a dizer o que era aquilo. Era mesmo uma boia das redes de pesca. Só que não era de poliuretano, que é uma espuma leve, mas sim de um material "rijo" e pesado.

Amigo Xavier

Obrigado pelos votos de boa recuperação.
Quando é azar, ainda vá que não vá. Agora quando é estupidez custa mais a encaixar.
Mas isto tem que estar bom para o Raide e para Óbidos.
Boa viagem e boas férias.

A ambos, um grande abraço.
FA

António Almeida disse...

Amigo Andrade
isso tem andado azarado mas com azar ou sem ele a cereteza de que io teremos em Melides, até lá.
Abraço.

Fernando Andrade. disse...

Olá António
Tenho que me poupar para não me acontecer outra, pois já vi que estou em "maré" destas coisas.
E estamos a 16 dias de Melides e 23 de Óbidos (que não vai ser nada melhor!).
Grande abraço.
FA

Ricardo Baptista disse...

Olha olha,
já me aconteceu uma coisa muito parecida. Tive mais sorte porque tinha calçado umas botas da tropa. Mas também vi estrelas...
A bola tinha aquele aspecto das bolas antigas de cauchu, parecia um pouco vazia mas em muito bom estado. Vermelha. Enfie-lhe logo uma biqueirada...
Pesa 3kg, afinal não era uma bola de futebol, é uma bola de fitness (ou coisa assim). Ainda a tenho lá por casa...

Fernando Andrade. disse...

Pois é Ricardo
Não resisti a vê-la ali, redondinha, a pedi-las e com espaço para progredir...

Abraço.
FA

Mário Lima disse...

Fernando

:)))))) Não te enganaste na modalidade? Que biqueirão deve ter mandado à pseudo bola para, até, veres estrelas.

Não viste as estrelas no céu, viste-as em terra.

:))

(Rio-me como um perdido com o sucedido, tal como me ri do caso do Adelino, porque será que a gente só se ri destas "desgraças"?)

Tu és um perigo público! Espero bem que um dia não vejas uma coisa redondinha a sair da areia na Praia do Meco, lhe dês um pontapé e ouças um ai de alguém.

:)))

O Raid que se cuide, se não vai a bem vai a pontapé, ora essa!!!

:)))

Abraços!

Jorge Branco disse...

Não sei se hei-de chorar se hei-de rir!
Vários factores temos que ter em conta:
Tentando dar uma perspectiva positiva ao sucedido posso realçar que o amigo pese embora a idade mantêm intacto um espírito de criança e não resiste à visão de uma bola!
Se virmos o lado negativo da situação o mínimo que posso dizer é que alguém embruxou o amigo Fernando mais o amigo Adelino!
Ou serão influências, nefastas, do mundial de Futebol.
Conselhos? Gelo, gelo e mais gelo e uma ida, urgente, a uma bruxa mas uma daquelas verdadeiras e não daquelas falsas que andam a (des)governar Portugal há vários anos!
Rápidas melhoras!

Fernando Andrade. disse...

Olá Mário
Não acho nada mal que te tenhas rido deste episódio. Eu próprio, na altura que isso aconteceu gemia ao mesmo tempo que gargalhava. Um espectáculo se estivesse alguém a assistir à cena.

Abraço

Amigo Jorge

de facto, a "tentação do esférico" é mais intensa quando nos sentimos com espaço e livres. Era o caso.
Uma bola "inofensiva" perdida no meio de um plano de areia, poderia ser muito bem a minha companheira de treino. Não fosse ela falsa e dura como as pedras.

Grande abraço.

FA

Luis Parro disse...

Então o meu amigo não sabe que Futebol e Atletismo são modalidades antagónicas. Aquilo parece mas é um Ovo de Dinossauro e concerteza de Tyranossauro...LOL
Eu por acaso no meu MINI-RAID também encontrei uma bola...daquelas de voley de praia...mas não chutei, metia de baixo do braço e carreguei até ao carro!Também trouxe um coco, imagino de onde terá vindo e um tubo de mergulho.
As melhoras do dedo, parafraseando o Paulo Bento: Andebol com a mão, futebol com o pé, Atletismo não chuta, passa ao lado ou trás para casa!!!!

Fernando Andrade. disse...

Amigo Parro:
Esta é a frase da tarde :
... parafraseando o Paulo Bento: Andebol com a mão, futebol com o pé, Atletismo não chuta, passa ao lado ou trás para casa!!!!

Magistral, eheheheh

Obrigadão e um grande abraço.
Está quase a chegar a "aurora" de Agosto... ai,ai...

FA

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

ah ah ah ! É só para confirmar Fernando: nem tudo o que parece é, e o que é, nem sempre parece ser o que é! simples! como as pessoas, os animais, a natureza, enfim... até as bolas!

Um beijinho e as melhoras

Ana Pereira

Fernando Andrade. disse...

Olá Ana
Pois foi um episódio doloroso, com a sua parte hilariante.
Mas não sei porquê, não consigo esconder as minhas figuras ridículas. Também...como não tenho uma imagem de pessoa muito "certinha" a defender, vou falando do que de bom e de mau me acontece. Desta vez, calhou-me isto na rifa.
Mas já está quase bom.O dedo ainda está roxo nas zonas "atingidas", mas hoje já voltei ao local do crime, onde corri durante uma hora. Não sem antes ter feito uma jura que, se visse um objecto redondo -fosse ele qual fosse - contivesse o ímpeto de chutar, eheheh.
Beijinho, Ana.

FA

elis disse...

oi, fernando!

que engraçado:) e também que surreal! você correndo tranquilamente na beira da praia, e do nada chutar uma bola de 3kg! ai! ai! ai! hehehehe
que treino pesado, hein;)

Fernando Andrade. disse...

Olá Elis
O episódio teve tanto de engraçado como de doloroso,eheheh.
Se alguém estivesse a ver a cena, tinha, forçosamente, de soltar uma gargalhada, ainda que me viesse perguntar se estava tudo bem.
Coisas que acontecem aos incautos.
Bj Elis
FA