terça-feira, 7 de maio de 2013

O Discurso do Ar







Sem chuva, ventania, ou nuvens feias,
Sem calor e sem frio, vos acolhi,
E o tempo de intempérie e grandes cheias
Deixei ficar p´ra trás, me redimi.
P´ra cada um que aqui se serpenteia
Tenho O2  do melhor que produzi.
Porém, por um bocado, o vil destino
A maresia trocou p’lo “smell” de suíno.

3 comentários:

tornadocontrolado disse...

Contra a sapiência do Doutor
Procurei os Trilhos do Cidadão.
A lama, chuva e rio com vigor
Abençoaram a antecipada Ressurreição.
Na partida houve um banho de calor,
Na chegada uma larga escuridão.
No meio não resisti à linhagem
E o ritmo do trilho tapou a paisagem.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

é suíno, é biológico!

Fernando Andrade. disse...

Grande João Lopes. Está aí tudo dito: Uma irresistível vontade de participar no Trilho, contra a indicação médica; a lembrança da intempérie pascal e da ribeira caudalosa;a partida com o sol ainda alto e a chegada noite escura. Mas desta vez, a vontade de competir falou mais alto e não deixou estar atento à paisagem. Fantástico. Obrigado, João.

Sim, Ana ...mas não deixa de ser "biosmell" ... suino, eheh -beijinho.