sábado, 18 de maio de 2013

SINTRA "BES Run Chaleng3"

Antes da partida com o Álvaro Pinto e o José Sousa

a 100m da Meta
(fotos de Ventura Saraiva)


Ontem, ao fim da tarde recebi um agradável convite para participar na Corrida do BES, em Sintra. Sem hesitação, aceitei e agradeci a quem teve tamanha amabilidade.
Os pórticos da partida e da chegada estavam instalados em  S. Pedro. O percurso de 10 Km, como não podia deixar de ser, tinha fortes inclinações, tanto a subir, como a descer, sendo uma grande parte comum com o do Grande Prémio Fim da Europa. Não subia a Peninha (aos 10Km do GPFE), mas subia a Pena aos 8Km, antes da descida vertiginosa para a Meta.
A Vila parou. E eram muitos os turistas que, deixaram de fotografar o palácio e abeiraram-se da estrada, para registar e aplaudir a passagem dos quase três mil corredores. Depois vinha a rampa. Quilómetros de rampa!  Embora difícil, aquele serpentear  serra acima, proporcionava imagens inesquecíveis daquela enorme coluna compacta de atletas que se colocavam em diferentes níveis, transpondo a altitude. O som sibilante das expirações predominava sobre o do bater dos pés no asfalto. Falar? Huuum, só um  “Oi”, “tas bom”, coisa breve, que aquilo “puxa” pouco a conversa.  Começámos a cruzar com os atletas da frente, que já tinham feito o retorno. Eles vinham com 7Km  e eu ainda nem 5 tinha  feito! Agora, até ao retorno era fácil, mas tinha que reservar energias porque se descia, tinha que subir quando voltasse.
Mas aos 8Km, aquela calçada até ao parque do Palácio da Pena era terrível. Mas fez-se. Depois a descida louca até à meta. Muitos optavam por descer com cuidado, não fossem escorregar, mas o piso –de calçada- estava quase seco e arrisquei, pois gosto de descer. Ganhei muitas posições aí e terminei com 51minutos e qualquer coisa. (Resultados aqui)
Quanto à Organização, o que deve ser sublinhado, é a excelência da Prova. Não vi qualquer falha. E se é difícil a logística de uma prova com milhares no Centro Histórico de Sintra, em que diversas entidades administram a área!!! A HMS Sports já nos habituou a organizações de grande gabarito e a Câmara de Sintra, ao acolher  este enorme evento no seu território, conseguiu finalmente, uma Prova do melhor que seria possível fazer, nas condições que Sintra tem. O GP Fim da Europa, honestamente, sei que não ficaria atrás deste BES Run Chaleng3, não fosse a dificuldade criada pela partida e chegada em locais diferentes e distantes. Esta, corresponde a uma versão curta do já clássico e insubstituível GP Fim da Europa. Mas só há uma coisa comparável a “correr na Serra de Sintra”, que é “correr na Serra de Sintra”. Todo aquele verde torna-se mais verde se for visto por mais gente.
Por fim, um grande Obrigado à HMS Sports por ter escolhido Sintra para uma das provas do BES Run Chaleng3 e à Câmara Municipal de Sintra,  por se ter empenhado seriamente num evento desta grandeza, sinal claro de que quem tutela o Desporto em Sintra aposta em afirmar esta terra, como um palco privilegiado do Desporto Pedestre e com sensibilidade para reconhecer a importância turístico-desportiva no desenvolvimento do Concelho.

1 comentário:

Nuno Sentieiro Marques disse...

Belo resumo e mais um habitual belo texto amigo Fernando.
Obrigado pela partilha e pelas belas linhas.

Tive pena mas outros compromissos não me permitiram dizer presente.

Talvez para o ano, caso se repita.

Grande abraço.