terça-feira, 29 de julho de 2014

UMA "Profecia"




Pousou lá junto ao mar, o Adamastor
Em promessa que há muito havia feito
E dirigiu-se a nós com tal calor
(Ali, onde nos apanhou a jeito)
E disse que somente o seu favor
Nos iria pôr a medalha ao peito.
Muitos desejarão que esta jornada
Nunca tivesse sido iniciada.

- Vós julgais que correis?!? –Ah,ah,ah,ah
(Vociferou e riu a tal figura)
-Pensáveis que eu nunca viria cá
Tratar de pôr a areia mole ou dura!?
Mas hoje, apeteceu-me, e digo já
Que irão seguir-se horas de amargura
E vereis Tróia lá no infinito
E o caminho p’ra lá, ser mais que um mito!

- Vereis os vossos gêmeos massacrados
Por tanta légua em inclinado plano;
Vereis os vossos passos bem marcados
Naquele que é o pior piso do ano
De sapatos nas mãos e não calçados
P’ra que aos dedos dos pés não causem dano.
Quem, em tais condições, chegar ao fim

Já pode, então, fazer troça de mim.

Resultados: aqui!

2 comentários:

joaquim adelino disse...

Desta vez não me atrevi, pelo que tenho lido aquilo estava lindo! Parabéns amigo, foi um dia de trabalho bastante intenso, perdi por certo a sua dureza e tenho pena por isso mas o intervalo até chegar a Óbidos por ser muito curto desta vez falou mais alto. Espero mais uma vez encontrar-te por lá. Entretanto conta comigo para a Meia.

Fernando Andrade. disse...

Bem dito, Adelino.
Fizeste bem. Óbidos já é "tortura" bastante. Eu é que ainda vou estando com a mania, mas como, no resto do ano não entro em grandes vôos, tenho direito ao meu período de maluqueira e avanço para as duas na mesma semana. Mas é para passear. Amanhã lá nos encontraremos nas terras do Serrazina. Abraço.