quinta-feira, 26 de março de 2009

A Meia de Lisboa

Aos 4 km





A minha prova tem uma estória curta: parti rápido (21,30 aos 5km); abrandamento (forçado!) até aos 15Km; aceleração até ao final (1,39,07). Fiquei satisfeito com o resultado.

Prefiro, no entanto, falar da Prova e não da minha prova .

A Meia de Lisboa, digam o que disserem, mais do que uma corrida, é - um fenómeno de massas ! Qualquer comparação que se faça com outras provas realizadas no País, é descabida. Há quem não goste, pela confusão inevitável, mas há quem goste, pela Festa que representa.

Para 5700 que completaram a Meia Maratona e para (talvez) outros tantos que terão encarado a Mini como um acontecimento desportivo (o que dará um terço dos participantes), houve corrida. Para os restantes dois terços o evento esteve para além da modalidade : foi uma oportunidade para contemplar a cidade de Lisboa, do “miradouro” privilegiado que é a Ponte 25 de Abril. Para estes, o contacto com a corrida veio por arrasto. Bastar-lhes-iam 3 dos 8 km que tiverem de palmilhar. Alguns terão gostado e, numa prova, noutro qualquer lugar, irão prestar mais atenção à prática da Corrida e, quiçá, passar a praticá-la regularmente. Essa é a grande vantagem da Mini!

À Organização, mais do que dirigir uma Corrida, exige-se a tarefa nada fácil de controlar uma multidão o que, com algumas falhas compreensíveis, me pareceu ter sido conseguido com grande competência.

O maior erro, quanto a mim, foi deliberado: fazer a partida em Algés, para os atletas de elite, apenas para que o desnível não comprometesse a homologação de um possível record do mundo ! Uma partida sem brilho para a fina flor do atletismo mundial, pois a Festa era lá em cima, na Ponte! E é a Ponte, repleta de gente em movimento, o grande ex-libris da Prova. Os grandes atletas passaram por baixo ou, se quisermos, os convidados partiram das “traseiras”!

Dirão que a elite não se preocupa com a paisagem e o que quer é conquistar o máximo de euros possível. Será ou não será assim, mas a verdade é que foram retirados da Festa.

Foi outra a Prova que fizeram.

O encanto da Meia de Lisboa fica ofuscado por troca com a remota possibilidade de um record que depende de muitos outros factores para além de um percurso plano (conforme Carlos Móia reconheceu). Assim, não batem record coisíssima nenhuma, fazem uma partida que complica a logística, desprestigia-se os grandes atletas privando-os dos quilómetros mais bonitos do percurso e os atletas de pelotão deixam de poder observar os craques ali a poucos metros.

Se fosse eu que mandasse, voltaria ao antigo “figurino” ! E não estaria lá em cima o “ti-ro-li-ro-li-ro e cá em baixo o ti-ro-li-ro-ló”. Juntar-se-iam os dois no… Pragal , a “tocar a mesma concertina” .




9 comentários:

André disse...

Viva
da primeira vez que te vi passar foi tão depressa que nem tive tempo de abrir a boca :)
uma bela prova, mas com excesso de zelo dos seguranças.
Abraço
André

luis mota disse...

Olá Fernando!
É sem duvida uma grande festa!
Independentemente do tempo que se obtenha o maior prazer é participar.
Esta prova estava-me atravessada desde o ano anterior. No ano passado ainda não tinha ritmo para fazer uma meia Maratona. Fui na caminhada.
Comecei a correr e fui atrás dos outros. Por volta dos 7 km, um atleta do Reboleira questiona-me:
-Vamos juntos até ao fim?
Olhei para o lado e pensei que estava quase a terminar. Respondi:
- Bora!
Passou o 8km, o 9º. Perguntei.
Não eram só 7?
- Isso tinhas de virar lá atrás - Respondeu.
- Agora é só continuar - Acrescentou.
Ok. Mas segue que eu vou mais lento. Concluí.
Fiz a meia em 0.1.19.25, oficioso. O que mais me custou foi, na recta da meta, ter saltado para o lado da caminhada para não criar confusão. Fiquei com pena de não ter cortado a meta da meia de Lisboa. Foi-me dada a medalha da caminhada. Como era bonita a medalha do ano anterior dos atletas que concluíram, como eu, a Meia Maratona. Contudo tenho que respeitar o regulamento. Restou-me uma enorme alegria de ter efectuado a prova.
Este ano foi com muita emoção que recebi o dorsal.
A prova foi extraordinária. O convívio, com familiares e amigos, maravilhoso.
Agradeço ao Fernando o seu incentivo em prova.
Para o ano quero voltar a marcar presença.
Grande abraço,
Luís Mota

Carlos Lopes disse...

Parabéns pela prova, mesmo com muitos sobressaltos que valeu foi o espírito da prova

José Xavier disse...

Olá Fernando;

Boa prova, depois das maratonas agora esta 1/2 e fazer esse tempo, parabéns.

Quanto à organizacão da prova, e pelo que segui na televisão, penso que poderá ser melhor é uma questão de organizacão. Quem vai com os netinhos passear, não pode estar misturado com quem faz a Mini, eos que fazem a mini não podem estar misturados com quem faz a 1/2 maratona.

Muitos simples, como fazem aqui na Holanda, era fazer partidas intervaladas, para os vários grupos. Bastava saírem com 10 minutos de diferenca.

Aqui na Holanda já se fazem as grelhas de partida em funcao dos tempos de cada grupo de atletas, e desta forma ninguém atrapalha ninguém.

Enfim, fica festa das corridas e isso é muito importante.
Alguns amigos meus foram fazer a corrida, e eu mortinho a assistir na tv. Quem sabe um dia seja um dos participantes!

Um abraco amigo
Xavier

Mark Velhote disse...

Olá Fernando,

O facto de existirem dorsais VIP é para mim um factor....digamos...negativo...

De qualquer forma Festa é Festa!

Boa prova e mais uns Km para subir no ranking!

Abraço

joaquim adelino disse...

Aí está um exemplo de como as pessoas não devem reagir a quente ao que observam do que seja mais negativo. Se assim fosse hoje os sportinguistas não estariam aflitos com os eventuais castigos que aí vêm.
Amigo Fernando, são todos estes pormenores que irão obrigar a Direcção desta prova a rever procedimentos que começam a desvirtuar a competição. Pode crer que com a sua lúcida e oportuna análise também surtirá o seu efeito.
Parabéns pela sua prova e pelo excelnte tempo alcançado.
Um abraço.

João Meixedo disse...

gosto sempre mais dos relatos quando eles encerram em si um olhar crítico. Obrigado pelo post. Abraço.

Duarte Gregório disse...

Boas,
Creio já lhe comentei que essa é uma das provas que espero vir a fazer um dia, principalmente, como diz e bem, pela festa. O resto vem por acréscimo.
Quanto ao ironmen não está nos meus planos.
b.f.semana

Carlos Lopes disse...

Resposta sobre o cigarro

Fernando
Uma coisa sei... perco muito por causa do cigarro, ora veja, agora na meia de Lisboa, por algumas vezes tive que parar, parar, é dizer, andar durante um tempo para recuperar um pouco, se não tivesse que parar, o tempo de corrida seria outro.