quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Tesourinhos - 1

A senhora estava à espera do comboio, há horas, pois a greve da REFER e da CP, alterou, por completo a rotina de milhares de pessoas, dependentes do transporte ferroviário.

Quando o repórter lhe perguntou se achava que iria haver comboio, a resposta estava na ponta da língua :

- Sim, sim! Fui perguntar e garantiram-me que talvez houvesse!

Haverá melhor garantia que um "talvez"?

6 comentários:

Carlos Lopes disse...

Peço desculpa aos demais... os unicos que fazem greve em portugal, são apenas os funcionarios empresas do estado.. e falam em direitos?? e os outros?

Parabens pelo post, Fernando

Carlos Castro disse...

Então não vivemos no país do "Talvez"? Este está sempre garantido... quer chova ou faça sol!
Belo tesouro, amigo Fernando.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

E quando eles (jornalistas) - jornalistas?! - piores que os entrevistados, se lembram de perguntar "e como é que se sente?" - a quem acaba de lhe desabar o tecto em cima da cabeça e o tapete lhe sai debaixo dos pés, jornalistas a puxar à lagriminha... isso sim, são mais que tesouros as perguntas desses senhores cuja missão devia ser...informar...

E quando se lembram de reportar o nr. de feriados que os portugueses têm num determinado ano? e que com a possibilidades de "pontes" as pessoas podem vir a trabalhar um nr. insignificante de dias num determinado mês?! A puxar.... a puxar à estupidez, pois as pontes no meu emprego, pelo menos, fazem-se com dias a que os trabalhadores têm direito (das suas férias). Esse e outros tipos de jornalismo, isso sim são tesourinhos de valor inestimável!

Um grande beijinho Fernando Andrade

de quem não o esquece, mesmo que passe silenciosa, mas passo SEMPRE por aqui

Ana

Fernando Andrade. disse...

Amigo C.Lopes
é verdade que quem se sente mais seguro é que se dá ao luxo de protestar e, entre estes, há os que se sentem insubstituíveis e lixam isto tudo. Mas como compreendeste, não era da greve que eu queria falar. Falei apenas para situar a cena.
Grande Abraço

Caro C.Castro
Quando aquilo que se pode garantir é um "talvez" tá tudo dito. Vendo bem as coisas o "tesourinho" não é só da senhora que falou.
Então e o "Plano"? Está em marcha, já sei.
Grande Abraço

Olha a minha querida amiga Ana!!!!
Toda impertigada, hein!? Assim é que eu gosto de a ver : observadora, crítica, fiel aos seus princípios, defensora dos desfavorecidos, irónica.
Sim senhor, Ana. Depois da sua última "postagem" (que tal? sempre é melhor que a outra expressão, pelo menos, tem uma terminação mais portuguesa).
Vamos coleccionar esses tesourinhos de que falou?
Um regresso destes merece o meu grande aplauso, Ana.
Grande Beijinho

JoaoLima disse...

E em pleno 3º milénio chega a grande invenção, a garantia do talvez! Espectacular!

Bom... sempre é melhor do que aqueles que nos garantem coisas que sabem nunca ir cumprir...

Uma pequena contribuição ao que a Ana disse. Há uns anos atrás, houve uns miúdos que morreram afogados no Rio Alva.
As imagens focam um pai, desesperado, sentado nuns degraus com as mãos na cabeça.
Então não é que a jornalista coloca-lhe o microfone à frente e pergunta-lhe se ele está a sofrer muito!?!
Por acaso nem reagiu nem respondeu, mas se tivesse uma reacção violenta, lá vinha a ladainha do direito à informação, o que segundo nos querem fazer crer, anula quaisquer direitos humanos.

Um abraço a todos e o desejo dum bom fim-de-semana, com o desejo muito especial ao Fernando duma boa Maratona.

Fernando Andrade. disse...

Não há dúvida, João
que essas pessoas -as tais que têm o direito de informar - têm o dever de saber fazer as perguntas adequadas a cada situação, sob pena de nos brindar com estas deploráveis perguntas de resposta óbvia que nos deixam estupefactos.
Obrigado, João, por me desejar boa prova em Sevilha.
Abraço.