terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

XXII Grande Prémio Fim da Europa



Com a conversa, esqueci-me de falar na minha Prova.


Cheguei cedo à Volta do Duche. Ainda não eram 8h e fiquei a lembrar-me do grupo de amigos que a essa mesma hora estaria a iniciar o percurso em sentido inverso, para depois, repetir o trajecto. Ainda não me sentia em condições de o fazer, até porque é preciso uma grande dose de força anímica isso.
Houve tempo para a conversa, para “saborear” o ambiente, tomar um cafezinho no bar do costume, receber o dorsal das mãos dos colegas da ACB, procurar, em vão, “uma certa personagem “ que, ainda não foi desta que conheci.

Posicionei-me a cerca de 15m do pórtico e aguardei pelo tiro da partida. Tive o prazer de conhecer pessoalmente o João Lima e fiquei à conversa com os meus companheiros Pedro Burguete e Fernando Celestino, sobre as próximas aventuras.

Deram o tiro e aquele “concentrado” de gente começou “estender-se” e a salpicar de cor e de energia, aquela estrada íngreme, sinuosa e bela que foi fonte de inspiração para muita gente.

Subi, cautelosamente, sem me preocupar com o tempo. Até nem levava relógio.

Os quilómetros iam-se sucedendo. Abastecimento por volta dos 4; entroncamento próximo dos 9. Vira-se à direita. A partir dali a ordem era restabelecer a respiração, mesmo que fosse preciso abrandar. Novo abastecimento. A qualquer altura, após uma curva, surgiria a monstruosa subida dos 10Km. Era preciso enfrentá-la sem medos. Ela aí está: passo menos amplo para conseguir manter o ritmo, concentração no controlo da respiração com a passada. Aqueles 300 ou 400m estavam conquistados. A partir dali era o “desengonçar de braços” e preparar as pernas para outra realidade: a descida louca. Agora, a duração do contacto dos pés com o chão tinha que ser tão curta quanto possível e a passada aquela que as pernas conseguissem alcançar… de forma sustentada.

Maldito atacador! Obrigou-me a perder uns segundos e a quebrar o ritmo. Lá recomecei, mas não era a mesma coisa. Lá estava o farol, o pórtico e a tenda.

Dão-me a medalha, um saco com lanche, vou ao chá. Encaminho-me para a zona das mochilas e rapidamente me devolvem a minha. Cá fora, enxugo o suor, visto o fato de treino e entro num dos autocarros que aguardava o momento certo para me trazer a Sintra.

Logo que o “fluxo” de atletas abrandou, os autocarros saíram e, pouco tempo depois estava em Sintra.

Vim a saber, que o meu tempo foi melhor que no ano transacto em cerca de um minuto, situando-se na casa da 1,20 (chip) 1,21 (t. oficial). Bem bom. Soube também que a minha colega da ACB, Lúcia Oliveira , que chegou bem antes de mim, subiu ao pódim.
Parabéns, Lúcia.

E pronto. Cai o pano sobre esta bela prova que, sem dúvida alguma, é a Grande Prova do Concelho de Sintra. De parabéns está também a Câmara Municipal e todos aqueles que se empenharam para que ela atingisse o sucesso que todos lhe reconheceram. Assim dá graça ser sintrense.

11 comentários:

Carlos Lopes disse...

Olá Fernando

Parabens por mais esta prova. Boa semana

JoaoLima disse...

Mais uma excelente descrição de prova! Parabéns!

Só uma pequena correcção em relação ao artigo anterior. Havia relógio. O carro com o mesmo ficou foi estacionado do lado direito antes da meta, um pouco para dentro, sendo tapado pelas pessoas que aplaudiam à beira da estrada.

E amigo, o prazer foi meu em ter conhecido o Cidadão de Corrida! :)

Um abraço

ana paula pinto disse...

Parabéns grande corredor.
É uma prova lindíssima.

Mário Lima disse...

Fernando

Pelas tuas palavras, curtas e suscintas foi vencida mais uma serra, o atacador é que não fazia parte da história. Foi o chegar (a subidinha marota já morava lá muito atrás), a trouxa, o arrancar e "voilá" Sintra de novo.

Espectáculo, um dia hei-de fazer uma prova destas assim.

:))

Bem tentei chegar mais à frente para te tirar uma foto no mesmo local que chamei por ti o ano passado mas desta vez atrasei-me e de ti nem miragem.

:)

Abraços Fernando e é sempre um prazer ver-te.

António Almeida disse...

Olá Andrade
boa prova, bom relato, tudo normal.
Penso que 15 dias antes da maratona foi sensato ficares por dose simples.
Até Sevilha, vai ser um espectáculo.
Abraço.

tutta disse...

Parabéns pela prova Fernando.
Abraço e bons treinos pra você.


tutta/ubiratã-pr
www.correndocorridas.blogspot.com

joaquim adelino disse...

Eu vi logo que faltava ali qualquer coisa, mas entendi.
Parabéns pela excelente prova e pela marca conseguida.
Abraço

luis mota disse...

Grande Fernando
Bela prova em Sintra.
Agora é virar baterias para a 40ª
Uma boa semana para si,
Luís Mota

JH disse...

Grand'a Fernando

É uma prova que sempre quis fazer, mas que até hoje ainda não encontrei a motivação para fazer os 1350 Km necessários para tal ...parabéns pela prova e como comentado noutro forum o "tal personagem" ia lá estar tanto como eu ...

Abraço

Manuel Romano disse...

Parabéns Fernando, ainda não foi desta que o consegui acompanhar! Excelente relato. Um abraço.

José Xavier disse...

Olá Fernando;

Gostei destes dois textos sobre o Fim da Europa.

Boa prova, e bom resultado.

Olha para os atacadores eu uso algo inovador no mercado desportivo das corridas ( há mercado para tudo!!)
vê este site:
http://www.bracks.eu/bracks/laceclip/

Um abração dos Xavier's