segunda-feira, 12 de setembro de 2011

"Estórias" da 35ª MMSJL - I



Assim não, campeão!

Há “cenas que lixam” !
Quem fez a prova teve a oportunidade de verificar que os abastecimentos aos atletas eram feitos por gente jovem (que se prontificou a dar a sua colaboração em pontos estratégicos) em contraste com a provecta idade desta Meia Maratona.

É nessa gente que vemos a esperança da sua continuação e, como tal, devemos estimar essa juventude, fazendo com que sintam a importância desta Prova e dando sempre o seu melhor para que a sua qualidade não se perca. Esse é o dever da Organização, mas pensamos que seja também um dever dos atletas.

Mas surgem situações em que “os putos ficam lixados” e perdem muito do entusiasmo com que deveriam estar sempre animados. Vejamos esta :

No abastecimento dos 10Km, aproximava-se o primeiro atleta. Há logo um miúdo que diz : -“ Olha! Vem à frente um sportinguista. Este é cá dos meus. Deixem que eu dou-lhe a água!”.

Vai abrindo a garrafa, pensando facilitar a vida ao atleta e, solícito, oferece-lha.

-Está aberta, não quero! – foi a resposta.

OK, falta de higiene – terá pensado o miúdo, consciente de que podia ter-se precipitado.

Uns metros à frente, o atleta recebe uma garrafa fechada, abre-a e … deita-a pela cabeça abaixo, para se refrescar!!!

Olharam uns para os outros, franziram a testa e viram que a figura de um ídolo pode ser apenas uma aparência.

Estarei a ser indelicado ao contar esta passagem, mas entendo que os atletas (e os campeões têm ainda mais responsabilidade nisso) devem mostrar reconhecimento pelo trabalho voluntário de quem está ali para servi-los, com um sorriso. Por isso, acho que fiz o que devia.



9 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Nem mais Fernando! As coisas são para se chamar pelos nomes. Os actos bonitos ou feios podem e devem ser tornados públicos. Afinal não tiveram lugar?! Porquê calar?

Não sei quem era o atleta que ia em 1º ao 10ºKm, sportinguista... seria o 1º a chegar à meta: Carlos Silva? Muito provavelmente sim, senão o Fernando não teria "sugestionado" dessa forma e deixado que as pessoas ficassem a pensar que era ele sem ter sido.

Uma estória triste a mostrar que "ser Campeão" e "ser Um Vencedor" é muito mais que correr e ganhar corridas. Para mim, o verdadeira Campeão e Vencedor, vence sim porque trabalha e luta e nos merece toda a admiração, mas também porque respeita e tem uma atitude e postura justa e correcta para com os outros, não só no meio desportivo em que está, mas na própria vida. Infelizmente esse rapaz parece não ter tido a melhor atitude nesse episódio. Resta-nos acreditar que foi um episódio isolado.

Um beijinho Fernando


Ana Pereira

Jorge Branco disse...

Eu nunca fui campeão de nada mas orgulho de sempre ter sido educado para com os organizadores de provas sejam quais as funções que estejam a desempenhar.
Mesmo muito arrebentado tentei sempre agradecer os abastecimentos com um obrigado!
Os campeões podem ir numa “luta” e numa velocidade que não lhes permite essas cortesias mas, pelo menos, não devem tomar atitudes como a do atleta em questão.
Penso que faz falta a muita gente ter, pelo menos, uma vez na vida ter estado do outro lado, do lado da organização, para entender melhor todo o trabalho voluntário e abnegado desses heróis!
Felizmente já estive do “lado de lá das provas”. Já apanhei chuva, sol, frio, só para servir o melhor possível o meus irmão corredores sem qualquer compensação que não seja a felicidade de contribuir para uma boa organização!
Por tudo isto o meu agradecimento a todos os voluntários que meteram de pé a 35ª Meia Maratona de São João das Lampas e um abraço especial aos jovens dos abastecimentos, eles são o futuro desta grande prova!

JoaoLima disse...

Por isso é que há campeões que são apenas campeões porque foram o 1º. Esses ganham e passam ao esquecimento com o vencedor seguinte.
E há outros campeões que são eternos, mesmo que não tenham ganho, nunca são ou serão esquecidos, porque são ou foram campeões dentro e fora da pista.
E há também aqueles que aos nossos olhos são uns campeões pois ajudam-nos na prova, os voluntários que merecem sempre todo o nosso respeito!
E do que vi nas Lampas, voluntários 5 estrelas, como em tudo nesta prova!

Avicor disse...

Valeu amigo !!
Parabéns pelas informação !!

Abraçoss e bons treinos !!

Romildo

José Xavier disse...

Olá Fernando;

Triste episódio, desse atleta. Mas fica confiante que os grandes campeões foram esses jovens que colaboraram com a organização e apesar destes episódios terão de ser acarinhados para continuarem a colaborar da mesma forma que o têm feito.

Coitado desse atleta, se fosse na Holanda passava sede decerto, os abastecimentos são feitos em copos descatáveis. Então já estão todos abertos!!

Força, continua!!

Um abraço
dos Xavier's

Carlos Lopes disse...

Quem fala assim, não deixa os outros darem os recados.... Parabéns Fernando

António Almeida disse...

Companheiro
transmite lá a essa juventude que decerto o grosso do pelotão apreciaram o seu papel de voluntários, já tinha comentado com a Isabel que tinha havido mesmo muito malta nova nos abastecimentos e a controlar, da minha parte o meu garnde obrigado a esses jovens e restantes elementos.
Aproveito para renovar os parabéns por 35 anos de "meias" de São João das Lampas.
Grande abraço e venha a nocturna.

João António Melo disse...

O trabalho destes jovens voluntários é de louvar e se alguns deles lerem estes comentários ficarão satisfeitos com toda a certeza, pois casos como este, felizmente penso que são raros. É de louvar também o facto de terem colocado vários recipientes para as garrafas de água depois dos abastecimentos, pena que alguns ainda deitem as garrafas para o chão.
Parabéns por esta excelente organização! Fui um dos estreantes mas se Deus quiser, para o ano que vem estarei presente novamente. Um abraço!

Fernando Andrade. disse...

Caros amigos
Muito obrigado a todos por partilharem do mesmo sentimento em relação a este episódio.
Talvez fosse preferível para que a imagem de um grande atleta não fosse atingida. Mas trazer para a praça pública a sua denúncia,pode dar algum resultado relativamente a outros casos que por aí se praticam . O que está aqui em causa é condenar a atitude que, como foi dito pela Ana, até pode ter sido um acto infeliz numa conduta sem motivos para repreensões.
Lamento, mas considero positivo para o próprio atleta, que reflicta sobre o caso. Para o atleta e para o atletismo.