sábado, 24 de setembro de 2011

"Estórias" da 35ª MMSJL (VI)


Foi bonita a Festa, pá!

Com a realização da 35ª Meia Maratona de S. João das Lampas, foram dadas por concluídas as Festas em honra de Nossa Senhora da Saúde de 2011. Na verdade, o Programa referia que as Festas iriam de 3 a 7 de Setembro, incluindo, no entanto, um espaço destinado ao dia 10, data da Meia Maratona.

Gostaria de deixar aqui uma palavra de apreço por tal decisão, pois as manifestações religiosas, culturais, lúdico-recreativas e desportivas, contemplam as várias “franjas” da população e são importantíssimas na vida da nossa comunidade.

Porém, a Comissão de Festas viria a pagar um preço alto, por ter tido este bom senso, pois houve quem não tivesse tido o mesmo entendimento.

Vejamos:

Tratando-se de uma comissão nova (mas experiente noutros eventos), cheia dinamismo e procurando recuperar o prestígio que esta Festa tinha perdido nos últimos anos (por gestão duvidosa), encetou diligências no sentido de obter os apoios necessários.

Marcaram audiência com o grande empresário da terra, que os recebeu com grande pompa, almoço de boas vindas e visita guiada às instalações. E, com um voto de confiança por serem gente de bem, apoiaria as festividades com dois mil e quinhentos euros, o que, obviamente, deixou satisfeitos os elementos da Comissão.

Começaram as Festas e o referido empresário foi ver o programa. Acto contínuo, mandou retirar imediatamente as suas faixas publicitárias colocadas no recinto e, indignado, entra em contacto com a Comissão:

-“Ouçam lá, dois mil e quinhentos euros não chega para um espaçozito no programa?- O que é que a maratona deu, para lá estar? Pois fiquem a saber que já não dou nada. Afinal rodearam-se das pessoas erradas!”


A mim não me causou grande estranheza esta atitude, pois no seu curriculum já constam várias do género mas, certamente, algumas até terão sido bem sucedidas.

Mas, enfim, uma pessoa respeitável, grande benemérito, filantropo e que ama a terra que o viu nascer, é “merecedora” do maior respeito. Por isso, ninguém ousará dizer à boca cheia, o que se passou, porque se o fizer estará a enxovalhar e a ofender o grande benemérito, o filantropo que ama a terra que o viu nascer. Mas que tem estas atitudes.

Em Outubro, dia 24, estarei novamente perante a Justiça, lado a lado com este senhor a quem me referi como sendo “intocável” e ele não gostou e processou-me.

Muito provavelmente, este texto também será matéria de processo. Sim, porque faltar à palavra é “legítimo” mas vir contar que ele faltou à palavra será…ofensivo e difamará o bom nome.

Por último felicito a Comissão de Festas pelo excelente programa que apresentou, pelos fantásticos resultados já apurados sem necessitar de um único tostão de quem lhe prometeu milhares. Tem muito mais valor os poucos de muitos dados com boa vontade.

6 comentários:

JoaoLima disse...

Oh Fernando... estou abismado com esta situação!
Não imaginamos o que os organizadores têm que passar. Apenas chegamos, encontramos uma prova fantástica e vamos embora felizes e contentes.
O que os organizadores têm que sofrer para fazer o bem...

Um grande abraço e força!

Carlos Castro disse...

Olá Fernando,
Sabe o que mais me choca neste tipo de pessoas - infelizmente há-as por todo o lado? É que elas acham mesmo que estão certas! Por vezes preferia que tivessem consciência que estão erradas, agindo assim por birra, vingança de alguma coisa ou... simplesmente porque lhes apetece. Mas não! O mal é que não conseguem ver mais além do que o seu próprio umbigo!
Ainda bem que há "Estórias" tristes com finais felizes.
Um abraço e... dê-lhe com força!

Anónimo disse...

Há os que compram as comendas, há os que lhes oferecem as comendas… Porém, a questão principal é saber-se quem tem de facto mérito para as ostentar…

É evidente que, quer na Comissão de Festas, quer na organização da Meia maratona não há comendadores, mas que há muito mérito, muita honestidade e muita palavra de Honra, não tenho dúvidas!

Espero e desejo que dia 24 se faça justiça

Orlando Duarte

joaquim adelino disse...

Esse "benemérito" tá-me cá a parecer que precisará de uma baldada de água fria lá do tanque para refrescar as idéias já que as que tem estão em desuso e inadequadas, a menos que o benemérito" esteja à espera que à sua passagem as pessoas da povoação lhe façam a devida vénia (com chapéu na mão se possível)para então se descozer e cumprir com a palavra dada.
Mas o povo continua sereno...

Jorge Branco disse...

Felizmente não conheço esse sujeito mas, infelizmente, conheço muitos igual a ele!
Mas apesar de Portugal estar entregue a gentinha como essa, ou pior ainda, temos homens íntegros e solidários, homens com H grande como o Fernando Andrade!
Estou solidário consigo amigo Fernando Andrade!
Penso que esse cavalheiro (ou cavalgadura) não precisava de levar com um balde de agua do tanque mas sim ser metido dentro do tanque! Será que também vou ser processado?

Fernando Andrade. disse...

Caros amigos
Obrigado pelas vossas palavras.
Abraço