quarta-feira, 3 de junho de 2009

"O sapateiro a tocar rabecão..."


...ou "eu e a Orientação"














Às vezes meto-me em assuntos que não domino e depois…dou barraca.
Vi um título sugestivo no Orientovar, do meu grande amigo Margarido, que se apaixonou pela Orientação e sobre esta modalidade tem vindo a desenvolver um notável trabalho. O título, dizia eu, era o seguinte: ”Relógios GPS, sim ou não?” e referia-se a uma directiva que estava a ser imposta pela IOF, proibindo o uso deste equipamento, bem como à contestação que estava a verificar-se por parte dos entendidos na modalidade.
Eu, por ter a “ideia” de que o GPS poderia facilitar a navegação, entendi que o uso de tais relógios desvirtuaria o espírito da Orientação, que devia assentar unicamente na leitura do mapa e no uso da antiga bússola, renegando as “modernices”.
Apresentando esta ideia, achava eu que estaria a prestar um “douto” contributo a uma modalidade que mal pratiquei. Incautamente, comentei dizendo que sim senhor, que a IOF tinha estado bem nesta determinação! Pelos comentários que se seguiram, vi o quão ridículo era o meu ponto de vista, pois aqueles que, efectivamente percebem do assunto, demonstraram por A mais B que se trata apenas de uma medida tacanha, pois ninguém consegue tirar partido do relógio para obter um melhor desempenho.
Só vi uma solução: voltar lá, retratar a minha ignorância e pedir desculpa aos orientistas pela imbecilidade do meu comentário.
Fiquei, no entanto, a pensar se a IOF não estará a ser dirigida por quem percebe tanto de Orientação como eu, eheheh .

5 comentários:

Mário Santos disse...

Olá Fernando,

Parabéns pelo seu blog, que não conhecia mas fiquei a conhecer pela mensagem no Orientovar.

Passei por aqui só para dizer que não tem de se retratar ;-) Por acaso quando li o seu post lá, nem associei a opinião à experiência maior ou menor no desporto. Vi-a apenas como uma opinião diferente, sempre importante para ajudar a descontruir e voltar a construir aquelas nossas opiniões que por vezes são pré-concebidas.

Como se vê, do debate nasce a luz... só é pena que, neste caso, a IOF aparentemente não tenha feito o mesmo e consultado os atletas de top, atletas que são os primeiros interessados na busca incessante da verdade desportiva.

Por isso, nunca se iniba de exprimir a sua opinião. Quando o fazemos, com receio de que possamos estar errados, estamos a destruir a criatividade e a evitar que outros possam melhorar as suas próprias opiniões, com base na nossa. Se fosse tudo igual, nunca se evoluiria para melhor.

Por isso, nunca se menospreze. Até porque a sua atitude a posteriori, só veio mostrar que é efectivamente uma pessoa que, também no desporto, exerce a cidadania duma maneira que merece que lhe seja reconhecido o respeito pela verticalidade que demonstrou ter.

Um abraço,

Mário

fernando disse...

Parabéns F Andrade

Foi com muito gosto que vi o seu comentário no Orientovar e fiquei a saber que acompanha a modalidade.

Sobre este assunto ainda a procissão vai no Adro, mas é muito importante este tipo de discussão.

Eu gostava de saber quais os argumentos que a IOF utiliza para tomar esta medida, pois pode haver algo que nos esteja a fugir!

Em Fevereiro de 2010, o meu clube organiza um evento WRE e vai ter que se confrontar com esta situação, espero que nessa altura as coisas já tenham sido alteradas.

Desejo desde já, muita sorte para mais uma edição da Meia Maratona de S.João das Lampas.

Um Grande Abraço

Fernando Andrade. disse...

Amigo Mário Santos

Muito obrigado pela honrosa visita ao meu humilde espaço e pelo comentário gentil que aqui deixou.
Quando eu apareci a defender a IOF, devia ter lido mais comentários, pois afinal, não apareceu mais ninguém com essa posição. Aliás,nem podia, pois o meu amigo e outros que se seguiram não deixaram dúvidas que se estava perante uma medida completamente descabida. Mas depois acabei por ficar contente por ter ficado esclarecido com as suas experientes palavras.
Mais uma vez, muito obrigado.
Ah... e visitei o seu blogue
(o-lá-lá...altamente especializado na Investigação a sério). "Eu, que falo humilde,baxo e rudo" fiquei sem poder comentar . Se na Orientação, o meu comentário deu o que deu, neste então...eheheh
Grande abraço

Amigo Fernando

também quero agradecer a sua visita
e as suas simpáticas palavras. É verdade que sigo a Orientação no Orientovar, que faz parte da minha lista de blogues. Gosto muito de ler os textos do Joaquim Margarido, que muito me honro de ter como amigo. Normalmente não comento (por falta de bases) mas,desta vez, enchi-me de "coragem" e fui-me pôr do lado de quem estava a ser alvejado,eheheh. Mas concerteza que a IOF vai mudar de posição a menos que sejam "caturros".
Grande Abraço.
FA
Grande Abraço

runningirl disse...

Fernado:

Obrigado amigo por sempre dar uma passadinha pelo meu humilde blog. Seus comentarios são sempre bem vindos. Aprendo muito como o blog de voces.

Ah, acho que estava certo em comentar porque afinal é uma questão de opinião pessoal.

Abraços,
Sandra

joaquim adelino disse...

Aqui o que valorizo é a humildade de um homem que tem como bitola de orientção desportiva a verdade e a verticalidade, mesmo que ás vezes o "tiro" passe ao lado, mas a intenção está lá, a sua opinião.
Um abraço.