quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O protesto





Disseram-me, que estátuas conhecidas

Dirão que sim ao alinhar na greve
Porque há muitas promessas não cumpridas
E as limpezas dos bolsos estão p’ra breve.
Mas se as pedras, Senhor, tão bem esculpidas,
Aderem, como nelas se descreve.
Vê-las-emos aí a circular
Que o seu trabalho mesmo, é …descansar.

3 comentários:

horticasa disse...

Eu não fiz greve porque?
1º não trabalho muito por isso fiquei mais ou menos quieta.
2º Ontem não fui correr porque estava a chuver por isso fui hoje.
Mas sou a favor sim senhor, acho que temos que dizer que isto está mal e se para isso temos que fazer grve? Então façamos.
bj eugenia

Fernando Andrade. disse...

Olá Eugénia.
Obrigado por se tornar seguidora do cidadão, e assim, que eu retribuo, pois assim, sempre que haja novidades no Horticasa, tê-las ei facilmente. Gosto da sua saudável ocupação com as coisas da terra. Já sei onde vasculhar experiências que me ajudem nas minhas mal sucedidas produções hortícolas.
Beijinho.
FA

Jorge Branco disse...

Eu não fiz porque não posso!
Não pode?
É trabalhador precário? Recibos verdes?
Está a prazo?
Mulher, filhos, prestação do carro e casa para pagar e tem medo de represálias?
Trabalha nalguma força militarizada?
É cobarde?
NÃO eu não fiz greve porque sou DESEMPREGADO!
A mim a “crise” (criada pelo que não nunca têm crises) já me atingiu de tal forma que até um direito básico e elementar de protesto como é a greve eu não o posso exercer.
Mas estou na luta por um mundo mais justo e fraterno para todos e não baixo os braços: