terça-feira, 30 de novembro de 2010

Adriano, o Grande


Soube, há dias, desta estória e acho que a devo partilhar convosco.

No último Campeonato Europeu de Veteranos, realizado na Hungria, Portugal esteve representado.

Com os seus 87 anos de idade, Adriano Gomes ainda lá fez uma “perninha”, acho que nos 1500m e ganhou “aquilo” no seu escalão. Sobe ao pódium e recebe a merecida medalha.

A concorrência, porém, vem alegar que ele não poderia ter competido, pois não tinha apresentado os mínimos que os regulamentos exigiam e, como tal, a sua participação na prova era ilegítima.

E o que é que interessava não ter apresentado mínimos, quando ele provou que era o melhor ? – era o que diziam os seus amigos, que o procuravam tranquilizar.

O Adriano sempre pautou a sua conduta ao longo da sua prolongada carreira de atleta, por um comportamento exemplar e, como tal, não se sentia bem com aquela medalha que, embora a tendo conquistado, com mérito, não obedecia à totalidade dos critérios que deveriam ser respeitados. Não a quis e devolveu-a, ante a estupefacção dos seus amigos e da própria organização que, apesar dos reparos, entendia não dever solicitar a restituição da medalha.

Algum tempo depois, a organização reuniu e notificou o Adriano. Objectivo : entregar-lhe o prémio europeu de mérito e fair play, que lhe tinha sido atribuído.

Parabéns Adriano. Haverá medalha que valha mais do que esta?

6 comentários:

Mário Lima disse...

Olá Fernando

Já conheço o Adriano há um ror de anos.

O que lhe aconteceu em terras de estranja é o normal e o natural de quem sabe que se a correr não se vence que sejam as palavras as vencedoras.

Ganham na secretaria aquilo que não conseguiram fazê-lo dentro do "campo".

Já não é de hoje, é de sempre!

Abraços e lá nos veremos domingo. É a minha prova de homenagem a todos os maratonistas.

Carlos Castro disse...

Amigo Fernando, fez muito bem em partilhar esta história! É de grandes feitos e de grandes histórias que a própria história se constroi.
Em minha opinião, ainda é maior vitória esta atitude do que a própria vitória nos 1500 m!... e ilegítmos são os invejosos (não encontrei outra palavra) que lhe quiseram roubar o mérito! Perderam!? Deveriam ir para casa digerir!
Viva o Senhor Adriano!

Carlos Lopes disse...

Olá Fernando

Conheço o Adriano das provas torneio Oeiras... sempre presente.. grande atleta

António Almeida disse...

Olá Andrade
acho que já tinha lido qualquer coisa não sei onde (revista atletismo?) mas acho que foi de "cidadão" a partilha.
Gostei especialmente do título do post, excelente.
Abraço e até domingo.

Jorge Branco disse...

Um atleta e um cidadão exemplar!
Um exemplo para os jovens nestes tempos em que impera a falta de valores.
Cheguei a ser tratado a algumas lesões pelo mestre Adriano.
Como é sabido ninguém gosta de estar leccionado mas até isso era amenizado pelas histórias que este grande senhor do atletismo contava enquanto tratava o atleta!

José Xavier disse...

Fernando;

Estes são os grandes exemplos de desportivismo de cívismo e uma grande envergadura pessoal.

Não conheço o Adriano, mas ésta atitude merece mais que o prémio de fairplay, pois são exemplos destes que a sociedade actual anda com déficit .

Um abraço
dos Xavier's